Poucas surpresas e muita reafirmação de estratégias já traçadas. Foi assim que os direções estaduais dos maiores partidos em Santa Catarina receberam os números da pesquisa Mapa contratada pelo Grupo RBS para traçar o perfil e os desejos do eleitor catarinense, divulgada na última quinta-feira. Posições conservadoras em relação a temas de comportamento e a busca maior por experiência do que por renovação nos candidatos eram manifestadas em pesquisas internas, na análise histórica e no contato direto com os eleitores pelo Estado.

Continua depois da publicidade

Pesquisa mostra características do eleitor de SC e o que ele pensa sobre política

Moacir Pereira: Pesquisa mostra um eleitor mais exigente

Upiara Boschi: O catarinense diante do espelho

Continua depois da publicidade

Rafael Martini: eleitor catarinense é conservador

Para avaliar os números do Instituto Mapa, o Diário Catarinense procurou os dirigentes dos cinco partidos mais estruturados do Estado em número de parlamentares e prefeitos: PMDB, PP, PSD, PSDB e PT. Todos concordam com o perfil apresentado pelo levantamento.

Um em cada quatro eleitores de SC não lembra em quem votou na última eleição

Catarinense quer candidato experiente e que não seja de família de políticos

— Esses números retratam o que a gente sente na rua, nas conversas com as pessoas, com as lideranças. É um retrato do catarinense: politizado, criterioso e, paradoxalmente, conservador _ afirma o deputado estadual Gelson Merisio, presidente licenciado do PSD-SC.

Catarinense diz que não tem preconceito racial, mas é contra aborto, maconha e casamento gay

Presidente do PMDB-SC, maior partido do Estado, o deputado federal Mauro Mariani afirmou que os resultados são semelhantes aos de 11 pesquisas qualitativas contratadas pela legenda e aplicadas nas maiores cidades do Estado. A maior surpresa do parlamentar foi quanto ao interesse do eleitor pela política, em um nível superior ao de registros internos anteriores.

Continua depois da publicidade

Eleitor de SC não confia na política no Brasil, no Estado e na sua cidade

— A pesquisa revelou um interesse maior pela política do que o normal. Até porque ficou evidenciado, especialmente com o que vem acontecendo em Brasília, que o voto tem consequência. Acho que o voto vai ser mais criterioso — avalia.

Mais da metade dos eleitores de SC considera votar em candidato novo

Eleitor catarinense acredita que maioria dos políticos é corrupta

Esse interesse também chamou atenção de Claudio Vignatti, presidente estadual do PT. O petista destacou os 41,3% de catarinenses que disseram acompanhar o que fazem os políticos depois de eleitos.

— A maior parte dos resultados não muda muito de uma eleição para outra. O que me chamou atenção mais foi a disposição do eleitor de acompanhar o trabalho dos políticos. Geralmente isso é baixo — afirmou Vignatti, acrescentando que talvez seja um dado momentâneo em função da situação política nacional.

Continua depois da publicidade

Presidente do PSDB-SC, o deputado estadual Marcos Vieira também concorda com a avaliação de que os eleitores catarinenses são mais conservadores, mas aponta mudanças na decisão do voto.

— As mulheres estão influenciando mais e acho que os jovens eleitores estão ficando mais independentes. Não seguem, necessariamente, o voto da mãe e do pai — acredita o tucano.

Outro dado ressaltado pelos dirigentes partidários é a característica apontada pelos eleitores de exigir alguma experiência prévia de seus candidatos a prefeito. É a avaliação do deputado federal Esperidião Amin, presidente estadual do PP.

Continua depois da publicidade

— A pesquisa mostra o eleitor avaliando o cenário político e ético, a mudança com segurança. Confirma a palavra que escolhemos como chave para nossos encontros partidários e seminários: confiança — afirmou Amin.

O que disseram os presidentes de partido:

Marcos Vieira (PSDB)

O catarinense é um povo altamente politizado. Concordo que ele é mais conservador, não faz mudanças bruscas. De outro lado, as mulheres estão influenciando mais e acho que os jovens eleitores estão ficando mais independentes. Não seguem, necessariamente, o voto da mãe e do pai.

Gelson Merisio (PSD)

É um retrato do catarinense. Politizado, criterioso e, paradoxalmente, conservador. É uma característica do Estado. O eleitor está em busca de administradores com atitude. Juntar a vontade e um pouco de conhecimento, alguém que seja renovação, mas que chegue em condições de tomar atitudes práticas desde o começo

Continua depois da publicidade

Mauro Mariani (PMDB)

A pesquisa revelou um interesse maior pela política do que o normal. Até porque ficou evidenciado, especialmente com o que vem acontecendo em Brasília, que o voto tem consequência. Acho que o voto vai ser mais criterioso.

Esperidião Amin (PP)

A pesquisa mostra o eleitor avaliando o cenário político e ético, o que é mudança com segurança. Confirma a palavra que escolhemos como chave para nossos encontros partidiários, seminários: confiança.

Claudio Vignatti (PT)

A pesquisa dá uma média, mas para a definição da estratégia de marketing eleitoral é importante a questão qualitativa local, com comparação entre candidaturas. Muita gente não percebe que acaba sendo conduzida por essas estratégias.

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total