publicidade

1 a 0

Marcílio Dias vence Figueirense no Scarpelli, mas não avança para as semifinais

Marinheiro fica pelo caminho com a vitória do Criciúma sobre o Hercílio Luz, e Figueira termina em terceiro 

07/04/2019 - 17h57 - Atualizada em: 07/04/2019 - 20h15

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Marcílio Dias vence o Figueirense no Scarpelli
Marcílio Dias vence o Figueirense no Scarpelli
(Foto: )

O Marcílio Dias passou grande parte da partida no Orlando Scarpelli na frente e dentro das semifinais. Mas enquanto o Figueirense ainda tentava o empate e a segunda colocação no Catarinense 2019, a 150 quilômetros, o Criciúma selou o destino da segunda fase. Apesar da vitória por 1 a , o Marinheiro encerrou a participação no campeonato. Já o Figueirense deixou escapar a chance de ser o segundo colocado. O time reserva do arquirrival Avaí venceu a Chapecoense na Arena Condá. O Figueira não fez a sua parte e termina em terceiro: será visitante contra a Chape na partida da fase seguinte.

O próximo compromisso é pelas semifinais. O Figueirense vai a Chapecó para disputar a vaga na final com a Chapecoense. O jogo está confirmado para as 16h de domingo, na Arena Condá. Já o Marcílio Dias encerra a honrosa campanha no ano de seu centenário, em que brigou entre os grandes times do Estado até a última rodada.

O jogo

O Figueirense poupou jogadores e também não teve em campo atletas pendurados. O retrato do começo da partida refletia a tabela. Garantido nas semifinais, o Figueira mostrava pouco, enquanto o Marcílio Dias se lançava ao ataque. A chuva atrapalhava as equipes. Aos 18, o time da casa teve boa oportunidade. João Diogo recebeu dentro da área e bateu ao gol. Fraco, e Tom abraçou a bola sem dificuldade. O lance despertou o Alvinegro, que adiantou a marcação e conteve o ímpeto rubro-anil. Aos 25 minutos, Alípio carimbou o travessão em cobrança cheio de efeito em uma falta frontal. Ao Marinheiro restava o contra-ataque. Não precisou mais que isso.

Juliano Levak aproveitou vacilo da defesa, avançou e entregou para Giba. No meio da área, ele botou para dentro e seu time na semifinal naquele instante, já que o Criciúma empatava com o Hercílio Luz. O Figueirense retomou o domínio e foi para cima. Aos 42, Tom foi obrigado a fazer grande defesa. João Diogo botou para Alípio chutar no cantinho. O goleiro se esticou todo e desviou para fora. O Marinheiro foi ao descanso em quarto lugar na tabela e classificado para as semifinais.

Os times voltaram do intervalo sem mudança nas formações. Mas o Figueirense reapareceu diferente, mais agressivo para alcançar ao menos o empate. Nesta batida, aos nove, João Diogo quase alcançou a igualdade. O chute cruzado de João Diogo passou lambendo uma das traves. Cinco minutos, Guilherme tentou a cobertura do meio de campo para surpreender Tom. Foi sobre o travessão. Para dar mais ofensividade ao time, o técnico Hemerson Maria tirou o volante Elias para a entrada do centroavante Rubens, minutos depois. Era hora de lutar pela segunda colocação e o mando de campo de uma das semifinais, já que a Chapecoense permitia mesmo com o empate com o Avaí, já na altura da metade da etapa.

Não bastasse o gramado muito encharcado pela chuva que ficou mais forte com o andamento da etapa, parte do sistema de iluminação não funcionou. A determinação é que o jogo seguisse mesmo assim, por causa das outras partidas. O Figueirense se assanhou e tentou ao menos o empate no instantes finais, já que o Avaí voltava à dianteira da partida em Chapecó - 2 a 1 no resultado final. Mas ficou nessa: Figueirense em terceiro e Marcílio Dias fora das semifinais.

FICHA TÉCNICA - Figueirense 0 x 1 Marcílio Dias

FIGUEIRENSE

Denis; Kauê, Pereira, Brunetti e Matheus Destro; Jean Martim, Elias (Rubens) e Guilherme (Gabriel), Alípio (Bruno Santos), João Diogo e Willian Popp. Técnico: Hemerson Maria.

MARCÍLIO DIAS

Tom; Luiz Renan, Igor, Magrão e Paulinho; Luanderson, Jonathas e Giba (Rogério Xodó); Jean Dias, Juliano Levak e Douglas (André Mensalão). Técnico: Waguinho Dias.

GOLS: Giba, aos 29 do primeiro tempo (M).

CARTÕES AMARELOS: Elias (F). Douglas, Giba e Jonathas (M).

ARBITRAGEM: Ramon Abatti Abel, auxiliado por Elen Carolin Portal Sieglitz e Gianlucca Perrone de Vasconcellos.

BORDERÔ: 2.084 torcedores, para uma renda de R$ 32.155,00.

LOCAL: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Deixe seu comentário:

publicidade