O novo técnico da Seleção Brasileira, Dorival Júnior, marcou história e conquistou título no Joinville. O ex-jogador passou pelo JEC na década de 80, onde, em 1987, foi campeão Catarinense, a última conquista da geração mais vencedora do clube. 

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Joinville e região no WhatsApp

Companheiro de time à época, Nardela, o maior ídolo do JEC, lembra que formou um meio de campo ofensivo com o volante, que chama apenas de Júnior e se refere como um jogador de técnica refinada. Ele, inclusive, vê semelhanças entre o ex-jogador e o técnico.

— Sabia jogar, tinha um fino trato da bola, não errava passes, ocupava os espaços do campo. Por isso que talvez a característica do Júnior como treinador seja essa. Ele gostava da posse de bola — pensa.

Nardela lembra bem aquela final do Campeonato Catarinense. Ele e Geraldo Pereira marcaram os dois gols do título, contra o Criciúma. No campo e na foto do título está também Dorival Júnior e outras figurinhas conhecidas do futebol. 

Continua depois da publicidade

— Fomos campeões. Foi marcante, um dia bem importante para todos nós. O Edu era o treinador, irmão do Zico. Eu e o Júnior jogamos juntos no meio, nos entendemos muito bem — destaca. 

Veja fotos de Dorival Júnior no JEC

Já naquele momento, Nardela destaca o lado profissional do técnico e que ele já tinha características para seguir carreira no comando tático dos times. Além de sempre ter o objetivo de representar a Seleção. 

— Era um cara muito consciente, que se cuidava, não era de noite e de festa. Tinha uma vida bastante regrada. Foi sempre um excelente profissional nesse aspecto. Ele tinha perfil, era inteligente, observador. Nós tínhamos muito esse foco de chegar na Seleção, ela brilhava nos nossos olhos. Ele trabalhou bem e agora foi escolhido com méritos — elogia. 

Continua depois da publicidade

Apesar de reconhecer as qualidades do ex-colega de Joinville, o ídolo tricolor reconhece que a tarefa de Dorival será difícil, com cobranças constantes e o desafio de conquistar título com pouco tempo de trabalho. 

— Há uma cobrança muito forte, o Brasil sempre tem que disputar títulos, ganhar competições, sempre está entre os favoritos. Tem que ter calma nesse momento, oferecer um trabalho de médio e longo prazo. Buscar o equilíbrio na Seleção, um time de marcação boa, de bom posicionamento, posse de bola e criatividade. Ele tem todas as condições de fazer um bom trabalho na seleção — analisa. 

Dorival foi contratado como treinador da Seleção Brasileira no último domingo (7), após a CBF não chegar em um acordo com Carlo Ancelotti, comandante do Real Madrid, e demitir o técnico interino, Fernando Diniz, do Fluminense. 

Leia também

Gravidez de menina de 13 anos revela estupros de homem de 46 anos em SC

Polícia investiga agência de turismo em SC acusada de golpes que chegam a R$ 200 mil

VÍDEO: Cavalos morrem queimados após galpão ser incendiado em Joinville; suspeito está foragido

Destaques do NSC Total