Bate bola. Corre. Para. Arremessa. Ensaia a jogada. Para. Conversa. Ajusta alguns detalhes e faz o movimento de novo. É assim, metodicamente, como em um espetáculo de dança, que têm sido os dias de trabalho da equipe de basquete feminino de Blumenau.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Itajaí e região por WhatsApp

Sob a liderança da técnica Bruna Rodrigues, as blumenauenses preparam-se para a edição 2023 da Liga de Basquete Feminino (LBF). O time de Blumenau é único da região Sul do país a disputar a elite nacional do basquete. Vice-campeã da liga em 2021, as blumenauenses trabalham para fazer uma grande campanha.

– A expectativa é a mesma de todos os anos, nós entramos na liga para ser campeão, assim como todas as equipes. A gente montou uma equipe qualificada pra ir em busca do título – comenta a treinadora.

Quer acompanhar o campeonato catarinense? Plataforma auxilia torcedor a não perder nenhum lance

Continua depois da publicidade

As blumenauenses estreiam nesta quinta-feira (9), às 19h30min, contra as paulistas do time de Santo André. A partida será no Ginásio Sebastião Cruz, o Galegão. Os ingressos custam R$ 10 e podem ser adquiridos nas bilheterias do ginásio.

basquete-feminino-blumenau-1
Comissão técnica e jogadoras conversam durante uma das sessões de treino, no ginásio da SD Vasto Verde

Para esta temporada, a direção manteve a base do time que vem jogando junto nos últimos anos e fez contratações pontuais, como a pivô Thamires (ex-Sport-PE) e a armadora paraguaia Maria Belén (ex-Foz do Iguaçu-PR). Elas reforçam o time que ficou com o 5º lugar em 2022 e teve alguns destaques individuais.

– Estou muito feliz em ter chego pra poder ajudar a equipe e as meninas me acolheram superbem nos treinos. A gente está trabalhando bastante, o nosso objetivo é ser campeã – diz Thamires.

Faraco: A “corrida dos milhões”

É o caso da armadora Maria Albiero, eleita a revelação da LBF em 2022 e que segue na equipe para esta temporada.

Continua depois da publicidade

– A preparação, olhando o que aconteceu ano passado, tentando corrigir um pouco aqui, ali, o que faltou. A gente tem várias das mesmas peças, algumas novas, e só tentando encaixar mesmo o que faltou ano passado – conta ela, sobre a expectativa para a competição.

Eleita para o “time ideal” da LBF no ano passado, a ala Leila Zabani permanece no time e fala da preparação:

– Estamos treinando forte, a preparação física está forte, fisioterapia, tudo a todo vapor. A maioria já tava aqui, a gente já tá habituada com conceito, agregando as meninas que estão chegando agora. A expectativa é a gente ir evoluindo, conforme o campeonato – comenta a jogadora.

Leia outras notícias do mundo dos esportes

O elenco une experiência e juventude, e também famílias. É o caso das irmãs Giulia e Helena Kuck. Reveladas nas categorias de base do clube, as irmãs de 24 e 18 anos, respectivamente, levam para a quadra a cumplicidade de quem carrega o mesmo DNA.

Continua depois da publicidade

– É a primeira vez que a gente tá tendo essa oportunidade. Vai ter algumas brigas, que tem de irmã, mas acho que vai ser muito bom – diz Giulia.

– Ela sempre foi o meu espelho, então jogar com ela é… Nunca tive essa experiência e está sendo muito legal. (…) A gente está sempre se ajudando – complementa Helena.

A competição

Além de Blumenau, outras sete equipes vão disputar a LBF em 2023. São elas:

A fórmula de disputa é praticamente a mesma da temporada anterior. Veja os detalhes:

Esta será a sétima participação de Blumenau na LBF. Confira o histórico do clube na liga:

Leia mais:

The Ocean Race: barcos iniciam etapa da prova rumo a Santa Catarina

Pelé é homenageado no The Best por Ronaldo, Seu Jorge e Fifa

Blumenau Futsal confirma vaga na Série Ouro do Estadual e anuncia amistoso de preparação

Destaques do NSC Total