A funkeira carioca Tati Quebra Barraco acusou a Polícia Militar (PM) do Rio de assassinar seu filho, Yuri Lourenço da Silva, na Cidade de Deus, na zona oeste da cidade, na madrugada deste domingo. No Twitter, a cantora publicou que “a PM tirou um pedaço de mim que jamais será preenchido. A PM matou meu filho. Essa dor nunca irá cicatrizar”, escreveu Tati.

Continua depois da publicidade

Em sua conta no Facebook, a funkeira informou que estava em Belo Horizonte na noite de sábado, onde fez um show. Tati contou que foi informada da morte do filho no meio da apresentação. “Como deve ser pra você receber uma mensagem, ligação em meio ao show dizendo que seu filho está morto?”, questionou a cantora no relato.

“Eu não pude parar o que dei início. Tinha fãs, públicos, o fotógrafo da casa, tinha um contrato assinado. Então tive que terminar o show da boate Eleganza com um sorriso no rosto, sem quê, ninguém percebesse. Mas não fui forte o tempo todo, desabei!”, continuou a cantora.

A Agência Estado tentou contato com a assessoria de imprensa da PM e da Coordenação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) para confirmar o assassinato, mas não teve retorno. A UPP da Cidade de Deus tem sido palco de confrontos violentos recentemente.

Continua depois da publicidade

Yuri era o filho do meio da cantora, que ainda é mãe de Carol Lourenço, de 22 anos, e de Mila Cristine, de 12 anos.

Destaques do NSC Total