Qual é o seu sonho? Essa é uma pergunta comum entre os adolescentes. Na década de 1990, como ainda não existiam as redes sociais, era mania entre a garotada responder cadernos de colegas da escola com perguntas pessoais. Era uma forma de trocar informações e conhecer os vizinhos de turma.

Continua depois da publicidade

Muitos meninos usavam as respostas nos cadernos para se aproximar das suas paixões. Foi o que aconteceu com Tiago Splitter, mas a paixão dele não se tratava de uma garota.

Aos 12 anos, o adolescente alto e magricela sabia bem aonde queria chegar. Entre as quase 30 respostas do caderno do ex-colega de turma Leonardo Schulze de Oliveira está lá, marcado na história o sonho do garoto: “jogar NBA”.

– Foi de arrepiar, ver um cara que sentava perto de mim na sala de aula conquistar o título da NBA, ainda mais sendo o primeiro brasileiro – comenta Leonardo, que viu o ex-colega, que atua no San Antonio Spurs, fazer história na noite de domingo.

Continua depois da publicidade

Assim que o ex-vizinho de carteira em uma das turmas da escola Barão do Rio Branco levantou a taça Larry O’Brien, Leonardo recorreu às antiguidades que tem guardadas dos tempos de colégio. Reencontrou o caderno e fez questão de postar imagens no Facebook. Splitter viu, curtiu e compartilhou o post do ex-colega ontem.

– Nunca tive tanto comentário, mas o legal é que só o pessoal do tempo de escola que comentou – completa Leonardo.

Insônia tomou conta da família

Dormir é uma palavra que não está no vocabulário da família Splitter. A mistura de emoções que tomou conta de Cássio, pai do campeão, fez o patriarca da família Splitter passar a noite em claro. Falou rapidamente com o filho na madrugada, em meio às comemorações. Nesta segunda-feira aguardava por um telefonema mais longo, em que pudesse falar com mais tranquilidade.

Continua depois da publicidade

– Conversamos por uns cinco minutos, foi muito relâmpago – conta Cássio.

Marcelo, irmão do pivô, também teve dificuldades, mas conseguiu dormir. Só depois de falar com Tiago. Ele confessa certa incredulidade com o feito do irmão mais velho:

– Ainda fico de bobeira ao ver as fotos na internet. Ganhar a NBA foi muito acima dos nossos sonhos.

Destaques do NSC Total