nsc
    dc

    Resistência

    Triatleta de Blumenau vence triatlo extremo entre Sul e Planalto Serrano  

    Jonathan Silva completou trajeto de natação, ciclismo e corrida entre Siderópolis e Urubici em 12h09m  

    16/12/2018 - 11h20 - Atualizada em: 16/12/2018 - 17h50

    Compartilhe

    João Lucas
    Por João Lucas Cardoso
    Triatlo extremo entre o Sul de Santa Catarina e o Planalto Serrano, o Fodaxman, realizado neste sábado
    Do total de 50 triatletas, 29 finalizaram a prova entre Siderópolis e Urubici
    (Foto: )

    Jonathan Silva completou em primeiro lugar o triatlo extremo entre o Sul de Santa Catarina e o Planalto Serrano, o Fodaxman, realizado neste sábado. O atleta nascido em Blumenau e que mora em Curitiba completou em 12h09m o percurso de natação, ciclismo e corrida entre Siderópolis e Urubici. O tempo é 37 minutos inferior ao melhor registrado no evento até então, em janeiro do ano passado, na primeira edição.

    — Não tem como não sofrer. A conversa antes da prova era: quem se preparou bem, vai sofrer, e quem não se preparou não termina, porque é difícil do começo ao fim. Posso dizer que é a prova mais difícil que fiz — relatou o triatleta, instantes depois de chegar ao ponto final, no Morro da Igreja, terceiro ponto mais alto de Santa Catarina.

    O blumenauense concluiu os 3,8km de natação na Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis, em 1h20min, atrás dos primeiros colocados. No entanto, ultrapassou competidores nos 180km até Urubici. No ponto mais difícil da modalidade, os 1,5 mil metros de inclinação da Serra do Rio Rastro, já estava em segundo, mas bem atrás do gaúcho Thiago Menuci. Passada a primeira metade dos 42km da corrida, ele se aproximou do oponente e o ultrapassou no km 27, quando começou a elevação de 1 mil metros até o ponto final de todo o percurso.

    triatlo na serra catarinense
    (Foto: )

    Depois de Menuci, foi Luiza Tobar que finalizou a prova. Em terceiro, ela foi a melhor entre as mulheres participantes, com tempo final de 12h58m. A divulgação dos resultados foi realizada no dia seguinte. E a paulista de Campinas não escondeu a satisfação com a conquista.

    — O nível foi bem duro. Sempre que vou para uma prova em que não conheço o percurso coloco na cabeça que vai ser mais difícil do que é. Acho bom, porque você se prepara para um encarar um bicho de sete cabeças. Mas acho que este foi um bicho de cinco cabeças. Foi no limite de pesado, para mim — relatou a triatleta de 31 anos.

    Do total de 50 triatletas, 29 finalizaram a prova. Quem não completou, desistiu no decorrer do trajeto ou foi vencido por dores e lesões. A intenção do organização é aumentar a quantidade de competidores e fazer a prova crescer ao ponto de ser reconhecida mundialmente como a principal de triatlo extremo realizada em solo brasileiro.

    — O evento cresceu, não era assim conhecido. Ano que vem queremos ir para 70 ou 80 atletas no máximo. A intenção é fazer com que cresça escalonadamente. Este ano a prova explodiu para fora de Santa Catarina, houve participantes de 11 estados — comentou Fabrício Abido Camargo, um dos organizadores do evento, que chegou à terceira edição.

    Resultados finais

    Masculino

    1º Jonathan da Silva -12h09

    2º Thiago Menuci - 12h27

    3º Rafael Pina - 13h10

    Feminino

    1ª Luiza Tobar - 12h58

    2ª Lorena Villas - 14h00

    3ª Cristine Stahlschmidt - 14h56

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas