nsc
    nsc

    Válido para os Poderes

    Condenados por violência contra mulher não poderão ocupar cargos de confiança em SC

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    13/11/2019 - 07h13 - Atualizada em: 13/11/2019 - 07h16
    (Foto: Felipe Carneiro/Diário Catarinense)
    (Foto: Felipe Carneiro/Diário Catarinense)

    Lei sancionada na última segunda-feira pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL) proíbe a nomeação em cargos comissionados de pessoas condenadas por violência contra mulher, criança, adolescente e idoso nos Poderes de Santa Catarina. A medida é válida para o governo do Estado, Assembleia Legislativa (Alesc), Ministério Público (MP-SC), Tribunal de Justiça (TJ-SC) e Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC). O texto não faz menção a ocupantes de cargos de confiança em prefeituras e Câmaras de Vereadores.

    A proposta foi aprovada na Alesc depois de uma união de três projetos diferentes de autoria do ex-deputado Cesar Valduga (PC do B) e dos atuais parlamentares Kennedy Nunes (PSD) e Maurício Eskudlark (PL). Pelo texto, as denúncias de casos envolvendo servidores nomeados devem ser encaminhadas ao MP-SC. Quando envolver o próprio órgão, o caso será levado para a Alesc.

    Outra mudança que a nova lei traz é em relação à nomeação de condenados por abuso de poder econômico e político em processos com trânsito em julgado. Neste caso a restrição é válida desde a decisão até o prazo de oito anos.

    Além disso, a terceira alteração mais significativa está nos casos de pessoas aposentadas compulsoriamente em todos os poderes. Elas também não poderão ser nomeadas por oito anos, de acordo com a nova lei.

    ​Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas