nsc
    nsc

    publicidade

    ESPORTES

    Blumenau chega ao 42º título dos Jasc com pratas da casa e união 

    Compartilhe

    Augusto
    Por Augusto Ittner
    10/11/2019 - 20h53
    ­
    Divulgação, SME

    Sem contratações específicas ou investimentos além dos que já são feitos durante a temporada, Blumenau conquistou neste domingo (10) pela 42ª vez os Jogos Abertos de Santa Catarina. Diferente de anos passados, quando havia um aporte considerável de recursos, dessa vez a cidade garantiu o título com a união de atletas formados na base, técnicos e dirigentes. Tudo isso aliado à força das modalidades coletivas.

    Antes de começar as disputas, conversei com alguns treinadores que me confessaram não acreditar que o município voltasse a vencer os Jasc. A alegação era de que o atual momento de São José e de Itajaí poderia pesar a favor das cidades rivais. Mas não foi o que aconteceu. Com pratas da casa e essa união pelo título, Blumenau chegou ao bicampeonato. O troféu de campeão geral ainda faz a cidade igualar Itajaí e Florianópolis com três conquistas na década.

    Investimentos na base e no adulto

    Já critiquei aqui mesmo na coluna o fato de o orçamento da Secretaria do Esporte de Blumenau (antiga FMD) ser o mesmo há sete anos, mas é preciso destacar: mesmo em meio às crises políticas e aos problemas dos estados e municípios, não houve cortes na verba das modalidades. Houve até mesmo a ampliação do Bolsa Atleta de 10 para 12 meses e a destinação de parte do lucro da Oktoberfest aos clubes amadores.

    Além disso houve incentivo às modalidades para as disputas de competições em nível nacional, o que serve de espelho e motivação aos mais novos a continuar no esporte. Caso do vôlei masculino (que voltou à Superliga), basquete feminino (também na elite), basquete masculino (na divisão de acesso ao NBB), handebol feminino (sempre na disputa da Liga Nacional), além de nomes do atletismo se destacando em competições nacionais, como o Troféu Brasil e até mesmo em eventos de base.

    Os parabéns, portanto, não vão apenas aos que conquistaram os troféus de campeão em cada modalidade dos Jasc, mas a todos aqueles que se esforçaram para pontuar e fazer com que Blumenau conseguisse uma ótima vantagem de 58 pontos sobre Itajaí, segunda colocada.

    Sempre disse: por conta da necessidade em somar pontos para a classificação geral, os Jogos Abertos transformam esportes como atletismo, xadrez, tiro, karatê, em modalidades coletivas. Qualquer resultado acima do esperado, independentemente do lugar no pódio, é importante para a soma. E é nisso que Blumenau é diferente: quem veste as cores da cidade representa a terra de Dr. Blumenau com muita raça, amor, e obsessão pela vitória.

    Para os blumenauenses, os Jasc nunca serão "só os Jasc".

    É mais do que isso.

    Deixe seu comentário:

    Augusto Ittner

    Colunista

    Augusto Ittner

    Opinião, análise e memória. Direto ao ponto, aborda o cenário esportivo do Vale do Itajaí. Com destaque para Metropolitano e BEC, traz de maneira exclusiva os bastidores do futebol em Blumenau e região.

    siga Augusto Ittner

    Augusto Ittner

    Colunista

    Augusto Ittner

    Opinião, análise e memória. Direto ao ponto, aborda o cenário esportivo do Vale do Itajaí. Com destaque para Metropolitano e BEC, traz de maneira exclusiva os bastidores do futebol em Blumenau e região.

    siga Augusto Ittner

    publicidade

    publicidade

    publicidade

    publicidade