publicidade

Navegue por
Dagmara

Meio ambiente

Entidade de proteção aos animais quer barrar aquário de Balneário Camboriú

Compartilhe

Por Dagmara Spautz
19/06/2019 - 15h18 - Atualizada em: 19/06/2019 - 19h01
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Associação Catarinense de Proteção aos Animais (Acapra) lançou um abaixo-assinado contrário à instalação do maior aquário do Sul do país em Balneário Camboriú. No documento, direcionado ao Ibama e ao Instituto do Meio Ambiente (IMA), a Acapra questiona o confinamento dos animais, afirmando que serão privados de liberdade de maneira “arbitrária e cruel”. Nenhum representante da entidade quis comentar o abaixo-assinado.

Maurício Bruns, sócio do empreendimento, disse que há geração de emprego e renda envolvida no projeto e que os trâmites para trazer os animais estão de acordo com a lei.

Gerente do Zoo Pomerode, ele diz ainda que há um controle rígido do registro de entrada e saída de animais do aquário, semelhante ao que é feito no zoo, e acompanhado pelos órgãos ambientais por meio de relatórios.

Água controlada

O controle de qualidade da água, por exemplo, emite alertas automáticos a qualquer mudança de parâmetro – o que, segundo Bruns, garantirá aos animais um espaço em melhores condições do que a maioria das praias frequentadas por banhistas. Ele afirma ainda que, nos oceanos, os animais estão sujeitos à interação com a poluição e o plástico, e isso não ocorre no ambiente controlado. Uma das propostas do empreendimento é atuar com espécies ameaçadas de extinção.

- São animais de alimentação humana. A partir do momento que estarão no aquário, estão salvaguardados – afirmou.

Confira a nota de esclarecimento do Aquário:

"O Oceanic Aquarium esclarece que o grande objetivo dos oceanários e aquários pelo mundo é a preservação das espécies e a conscientização sobre a importância da sustentabilidade.

Nenhum animal será retirado da natureza. As espécies que viverão no espaço são enviados através de parcerias com entidades nacionais e internacionais ligadas à preservação de animais em extinção, além de contarem com o acompanhamento constante de um time de biólogos e veterinários com experiência internacionais nesse tipo de operação. Receberemos ainda animais que foram vítimas de acidentes ou maus-tratos e não podem retornar ao habitat natural.

Em relação a conscientização, atividades educativas com crianças e adultos serão realizadas no espaço a fim de mostrar a importância dessas espécies. O estudo “Measuring the impact of an in-school zoo educacion programme”, que é a referência internacional em educação ambiental, aponta que a proporção de estudantes que puderam demonstrar pelo menos “algum entendimento sobre a conservação” aumentou de 4,5% no pré-teste, antes das atividades realizadas em zoológicos e aquários para 79,8% no pós-teste (um aumento de 1673,3%).

Acreditamos que preservar passa por conhecer. A visita a um aquário pode ser um divisor de águas no despertar da consciência ambiental. É essa a experiência que vamos promover.

Além disso, estamos alinhados com as boas práticas internacionais em oceanários e aquários para que Balneário Camboriú (SC) ganhe ainda mais notoriedade não só no turismo, mas também na questão de sustentabilidade".

Deixe seu comentário:

Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

dagmara.spautz@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação