publicidade

Eduarda

Saúde

Morte por gripe A está sendo investigada em São Joaquim

Compartilhe

Por Eduarda Demeneck
20/07/2019 - 11h58 - Atualizada em: 20/07/2019 - 11h58
Vítima não estava no grupo de risco, mas não se sabe se foi imunizada (Foto: José Carlos Rocha/NSC Total)

Uma mulher de 52 anos, moradora da cidade de São Joaquim, na Serra Catarinense, foi diagnosticada com o vírus da Gripe A (H1N1). O resultado do exame feito através do Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen/SC) saiu na última semana, dia 18 de julho. A mulher está internada no Hospital da cidade, Sagrado Coração de Jesus, recebendo o atendimento. O irmão dela, de 50 anos, também apresentou sinais e sintomas da gripe e foi transferido para o Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, em Lages, aonde veio a óbito.

Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), ainda não é possível afirmar se a morte foi causada pela influenza, exames de laboratório foram feitos e estão sendo analisados pela Lacen/SC. A campanha de vacinação contra a gripe neste ano aconteceu entre os dias 10 de abril e 31 de maio. Em São Joaquim a meta era vacinar 90% dos grupos prioritários, mas, de acordo com a Dive, 85,91% do público-alvo recebeu a imunização.

O público-alvo da campanha em 2019 compreendeu: crianças entre 6 meses e 6 anos; gestantes; puérperas – até 45 dias após o parto; indivíduos com 60 anos ou mais; trabalhadores da saúde; professores do ensino infantil, fundamental e médio de escolas públicas e privadas e do ensino superior público e privado; povos indígenas; grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; e policiais civis, militares, bombeiros e forças armadas da ativa.

Deixe seu comentário:

publicidade