nsc

publicidade

Faraco

Série A

Interferência indevida do VAR encaminhou a vitória do CSA

Compartilhe

Por Faraco
06/10/2019 - 23h17 - Atualizada em: 07/10/2019 - 10h48
Árbitro Anderson Daronco cerca de jogadores
Errou o Daronco. Foto: Douglas Araujo/MyPhoto Press/Folhapress

O lance do lateral Léo em cima do atacante Ricardo Bueno não foi pênalti. Há o toque nas costas, mas é aquele toque pra demarcar espaço. Não houve o empurrão. Ricardo Bueno deu um mergulho na área. Daronco viu o lance e mandou seguir, com sua interpretação de campo. Mandou seguir o lance corretamente.

Aí é que entra a interpretação indevida do pessoal da cabine do VAR. Wagner Reway chamou, indicando revisão. Errado! Não é pra haver este tipo de interferência. Diferentes opiniões sempre vão existir. Também existem entre um árbitro e outro. Daronco viu e mandou seguir. Não deveria nem ter ido à cabine para ver a imagem novamente. Tem que prevalecer, nestes casos, a interpretação da autoridade maior, que é o árbitro de campo.

É diferente de lances objetivos, como nos impedimentos, ou em lances em que o árbitro de campo não vê por algo que atrapalha a sua visão em campo. A mudança acabou gerando o pênalti, o segundo gol do CSA e encaminhando a vitória da equipe alagoana. Lances de interpretação precisam ficar no campo.

Derrota impede início de reação

O Avaí cometeu muitos erros e caiu diante de mais um adversário direto. Como em muitas partidas no turno, o Avaí não conseguiu bater um adversário direto. Foram erros defensivos demais, que ofereceram ao CSA ataques e contra-ataques no primeiro tempo. E erros ofensivos também, de um time que faz escolhas erradas nos passes e que finaliza muito mal.

O Avaí teve a bola, com 65% de posse durante todo o jogo, mas se complicou com ela nos pés. Foram 15 finalizações, mas apenas uma acertou o alvo. O CSA, que não teve tantos lances, que não jogou em cima, no ataque, fazendo pressão, acertou seis vezes o gol do goleiro Vladimir – em 14 arremates. O time alagoano jogou no seu esquema, com bloqueio defensivo e saídas rápidas de contra-ataque.

O jogo foi encarado como uma grande decisão, com bom público, com atmosfera de final de Copa do Mundo, e com muita luta da equipe da casa, que faz o que é preciso fazer nesta luta contra o rebaixamento. Já o Avaí, apesar de ter tido bons momentos na partida, continua buscando esse jogo elaborado, que não tem capacidade de fazer. A decisão do confronto direto foi do CSA, que contra o Avaí fez quatro pontos. Isso define muito a situação das duas equipes e quem briga e quem não vai conseguir brigar contra o rebaixamento.

Deixe seu comentário:

publicidade