nsc
    nsc

    Cidade

    Casarão histórico de Blumenau passa por demolição parcial

    Compartilhe

    Por Pancho
    16/07/2019 - 18h40 - Atualizada em: 16/07/2019 - 20h55
    Fachada será preservada e restaurada
    Fachada será preservada e restaurada. Foto: Patrick Rodrigues

    Está em andamento desde a semana passada a demolição de parte do casarão número 41 da Rua XV de Novembro, no Centro Histórico de Blumenau. O alvará de demolição foi emitido pela prefeitura no início deste mês e tem como base uma decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). Nela, o poder judiciário catarinense autoriza a demolição parcial do imóvel, devendo o proprietário preservar a fachada frontal dele.

    O fato é que, apesar de ter sido declarado patrimônio histórico de Santa Catarina em 2000 pela Fundação Catarinense de Cultura, o casarão nunca foi conservado. Por isso mesmo, vem sendo corroído pelo tempo e chegou a colocar em risco quem passa pelo local e os imóveis vizinhos, em especial o Museu de Hábitos e Costumes.

    O proprietário tentava reverter na Justiça o tombamento pela Fundação Catarinense de Cultura. Em outra ação, mais recente, o Ministério Público buscava obrigar o proprietário a restaurar o imóvel. No meio dessa batalha judicial surgiu a decisão que foi posta em prática imediatamente.

    Trabalho de demolição se concentra na parte de trás do imóvel
    Trabalho de demolição se concentra na parte de trás do imóvel
    (Foto: )

    Depois de demolida a parte autorizada, o proprietário do imóvel deve colocar em prática um novo projeto que está sendo mantido em segredo. Sabe-se apenas que inclui o restauro da fachada e a construção de uma nova edificação no lugar da que está sendo demolida.

    Histórico

    Segundo a historiadora Sueli Petry, o casarão foi construído na década de 1890 pelo comerciante Luiz Sachtleben. Era uma das casas de comércio que aproveitavam a movimentação do porto da cidade, que funcionava atrás da Praça Hercílio Luz (Biergarten).

    Nas décadas seguintes ela teve outras utilidades. A lembrança mais recente é a do Café de Berlim, casas noturna inaugurada no início da década de 1990.

    Bom seria se ela fosse preservada, como outras tantas que ganham a devida valorização. Na atual situação, com a possibilidade de perdermos ela por inteiro, manter a fachada parece uma decisão sensata.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas