Oito cidades de Santa Catarina estão em uma seleta lista das 100 populações mais ricas do Brasil, mostra a mais nova e recém-divulgada edição do estudo Mapa da Riqueza, desenvolvido pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV Social).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

A pesquisa leva em conta a renda média mensal dos moradores a partir de dados da declaração do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (IRPF) e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Por esses critérios, Florianópolis, Joaçaba, Balneário Camboriú, Jaraguá do Sul, Blumenau, Itapema, Chapecó e Joinville figuram no top 100.

Continua depois da publicidade

Na Capital, cidade catarinense mais bem colocada, ocupando o sexto lugar geral do país, a renda média da população é de R$ 4.214,67 (veja a lista abaixo). A maior concentração de salários do funcionalismo público vinculado ao Estado ajuda a puxar esse valor para cima.

A liderança geral é de Nova Lima (MG), onde a renda média mensal chega a R$ 8.897,08. Os números completos estão neste link.

Ranking municipal das maiores rendas médias da população

1º Nova Lima (MG) – R$ 8.897,08
2º Aporé (GO) – R$ 8.109,37
3º Nova Alvorada (RS) – R$ 6.149,52
4º Santana de Parnaíba (SP) – R$ 5.791,23
5º São Caetano do Sul (SP) – R$ 4.698,24
6º Florianópolis – R$ 4.214,67
7º Niterói (RJ) – R$ 4.191,59
8º Douradina (PR) – R$ 4.073
9º Santos (SP) – R$ 3.782,63
10º Porto Alegre (RS) – R$ 3.774,84
20º Joaçaba – R$ 3.034,01
21º Balneário Camboriú – R$ 3.028,63
45º Jaraguá do Sul – R$ 2.392,79
57º Blumenau – R$ 2.269,16
81º Itapema – R$ 2.064,38
87º Chapecó – R$ 2.021,64
94º Joinville – R$ 1.990,80

Continua depois da publicidade

Fonte: Mapa da Riqueza, FGV Social

Ainda segundo o estudo, a renda média da população de Santa Catarina é de R$ 1.652, a quinta maior entre as unidades da federação – sem surpresas, o Distrito Federal lidera, com R$ 3.148. O estudo da FGV mostra ainda que em apenas 19 cidades catarinenses os moradores têm renda média superior à do Estado.

O outro lado

No outro extremo, o estudo revela que em 48 cidades catarinenses os moradores têm uma renda média abaixo de R$ 500, o que é classificado como pobreza. Os menores valores, de acordo com a FGV, estão nos municípios de Entre Rios (R$ 217,19), Calmon (R$ 243,86), Bela Visto do Toldo (R$ 251,31), Santa Terezinha (R$ 252,03) e Cerro Negro (R$ 268,66).

Opinião

O estudo da FGV traz parâmetros diferentes do que os mais habituais para o mapeamento da riqueza, como o Produto Interno Bruto (PIB). O recorte é, de certa forma, limitado por considerar o IRPF, imposto que somente uma parcela pequena da população precisa declarar. Ainda assim, trata-se de uma fotografia por outro ângulo que reforça o tamanho da já conhecida desigualdade de renda no Brasil.

Continua depois da publicidade

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado pelo WhatsApp ou Telegram

Leia também

Gráfica dona da Baumgarten compra empresa de 180 funcionários

Blumenau sinaliza que vai manter formato da Oktoberfest apesar do apelo de cervejeiros

Retomada das obras da Prainha em Blumenau está prestes a ser liberada

Instituto especializado em ortopedia vai abrir nova unidade em Blumenau

Destaques do NSC Total