Cheio de problemas por conta do coronavírus, não se esperava um resultado expressivo do Figueirense no jogo contra o Sampaio Corrêa.

Continua depois da publicidade

Comentei que qualquer resultado deveria ser considerado normal, por causa da situação que vive o alvinegro.

Não esperava, contudo, um time tão desinteressado pelo jogo, principalmente no segundo tempo.

>Figueirense leva 3 a 0 do Sampaio Corrêa

Não jogou. O Sampaio Corrêa atou como quis e poderia ter feito mais gols se não tivesse tirado o pé do acelerador.

Continua depois da publicidade

O que vimos do Figueirense foi uma caricatura de um time de futebol. A pandemia parece ter se hospedado no Estádio Orlando Scarpelli: a cada dia, novos positivados.

Não há nem como analisar a atuação da equipe, pois a partir do goleiro Sidão, desconcentrado, passando pelo restante da equipe, ninguém queria nada com a bola.

A partir dos 20 minutos do segundo tempo, ficou muito claro que o Figueirense torcia pelo término do jogo e o Sampaio Correa esperava o tempo passar.

Claro que não se esperava uma equipe qualificada tecnicamente, o que, aliás, não vimos até agora.

Com muitos desfalques, sem entrosamento, esperava-se pelo menos um pouco de disposição para o jogo na tentativa de superar o momento. Parece que o grupo por inteiro foi atingido na pandemia na vontade de jogar.

Continua depois da publicidade

O que houve foi uma estratégia equivocada. O Figueirense não tinha como enfrentar de igual o Sampaio Correa e tentou. Era um jogo para se fechar por inteiro e tentar um erro do adversário. Jogar pelo 0 a 0 era o caminho.

Tomou 3 a 0, com 12 profissionais positivados e um time desfigurado.

Não há muito o que dizer sobre esta derrota, num jogo que não deveria ser realizado. Uma desigualdade proporcionada pela CBF cujo maior interesse era que o calendário fosse cumprido.

Acho que a partir de agora o Figueirense precisa entrar de sola na CBF para tentar evitar o jogo de sábado em Pelotas, Terá o alvinegro time para colocar em campo?

Destaques do NSC Total