Fragilizado pelo coronavírus que afastou o técnico Elano, parte da da comissão técnica e 12 jogadores (dois engrossaram a lista nas últimas horas), o Figueirense não resistiu. A derrota por 3 a 0 para o Sampaio Corrêa, na tarde desta quarta-feira (14), em São Luís (MA), mantém o alvinegro na zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro, com 14 pontos em 15 jogos.

Continua depois da publicidade

Ainda desfalcado, o Figueira agora atravessa o país, de Nordeste a Sul, rumo a Pelotas, onde enfrenta o Brasil-Pe no próximo sábado (17), às 18h30. Menos mal que nenhum dos pendurados recebeu o terceiro cartão amarelo. A CBF nem cogita adiar mais qualquer jogo. Cada time que se vire.

> Roberto Alves: Figueirense desfigurado perde em São Luís

Uma amostra do tamanho do prejuízo estava no banco de reservas do Estádio Castelão. Com seis infectados na comissão técnica, coube ao auxiliar de preparação física Rafael Rodrigues treinar o time. Ao lado dele, apenas seis jogadores como alternativas. Como se não bastassem os atingidos pela covid-19, o atacante Keké sofreu um estiramento na panturrilha e engrossou a extensa lista de desfalques.

Embalado por três vitorias seguidas, o Sampaio dominou o jogo. O primeiro gol saiu aos 25 minutos. Roney entrou a dribles pela esquerda e bateu forte, com pouco ângulo. A bola explodiu no goleiro Sidão e sobrou no meio da área para Flávio Boaventura, que chutou. A bola desviou em Elyeser e entrou.

Continua depois da publicidade

O Figueirense ainda escapou de levar mais. Roney mandou duas bolas na trave, e Sidão salvou uma pancada de Marlon. A estreia do veterano Alecsandro passou em branco. A bola mal chegou no centroavante.

> Avaí tem desfalque e retorno para enfrentar o Juventude pela Série B

O gol que definiu o jogo veio aos nove minutos do segundo tempo. Em jogada pelo meio, Eloir lançou Caio Dantas na entrada da grande área. Quando se preparava para o chute, o jogador do Sampaio foi empurrado por Pereira. O próprio Caio Dantas cobrou o pênalti, no canto esquerdo de Sidão, e ampliou: 2 a 0. Foi o sétimo gol do camisa 9, goleador do time maranhense na Série B.

> Covid-19, salários e reforços: ouça a entrevista com o presidente do Figueirense

A partir dali, praticamente nada mais aconteceu. O Sampaio apenas administrou, enquanto o Figueirense, mesmo lançando mão de todos os jogadores do banco, exceto o goleiro, não teve forças para reagir.

Nos acréscimos, o golpe final: Jackson arrancou livre pela esquerda, invadiu a área e tocou rasteiro, na saída de Sidão: 3 a 0. Sem exageros.

Continua depois da publicidade

Ao final, nem entrevista coletiva houve. Em silêncio, o Figueirense deixa São Luís, após uma estada em que nada deu certo.

Ficha técnica

SAMPAIO CORRÊA: Gustavo, Luiz Gustavo, Boaventura, Paulo Sérgio e Marlon; André Luis, Eloir (Ferreira) e Marcinho (Robson) Roney (Jackson), Caio Dantas (Daniel Penha) e Pimentinha (Diego Tavares). T: Léo Condé

FIGUEIRENSE: Sidão; Patrick, Pereira, Brunetti e Sanchez; Arouca (Lucas Henrique), Elyeser (Geovane) e Guilherme (Gabriel Lima); Bruno Michel (Nícholas), Alecsandro e Everton Santos. T: Rafael Rodrigues (interino)

Gols: Boaventura, aos 25min, no primeiro tempo; Caio Dantas, aos 10min, e Jackson, aos 49min, no segundo.

Continua depois da publicidade

Arbitragem: Pathrice Wallace Corrêa Maia, com Andrea Izaura Maffra Marcelino de Sá e Gabriel Conti Viana (Trio do RJ).

Destaques do NSC Total