nsc

publicidade

Saavedra

ANAC

Audiência pública sobre concessão do Aeroporto de Joinville deve ser realizada em novembro de 2019

Compartilhe

Por Saavedra
28/08/2019 - 19h00 - Atualizada em: 28/08/2019 - 22h24
(Foto: Salmo Duarte / A Notícia)

No encontro desta terça-feira (27) dos deputados Rodrigo Coelho e Darci de Matos com o presidente da Anac, Ricardo Botelho, não chegaram a ser tratados os montantes pretendidos para investimentos no Aeroporto de Joinville porque os estudos da concessão ainda estão em andamento.

“Nós precisamos ter garantias para que, no edital, conste um cronograma com os investimentos necessários para melhorar toda a infraestrutura e atrair mais voos, gerando mais competitividade, preços mais baratos e, consequentemente, mais passageiros”, disse Coelho. Em novembro, será realizada audiência pública em Joinville sobre a concessão. O leilão é para o final de 2020.

Recomendação na licença

Depois de fazer teste no sistema de licenciamento ambiental da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Joinville e descobrir que não é possível, para terceiros, o acompanhamento do andamento dos pedidos, a 21ª Promotoria de Justiça emitiu recomendação à pasta. A solicitação é que seja cumpridas leis federais sobre a transparência das análises. O Ministério Público de Santa Catarina tem inquérito civil para apurar o cumprimento da ordem cronológica da análise dos pedidos de licenciamento ambiental em Joinville. 

Na rua das palmeiras

Foi contratada a empresa para fazer os projetos de reforma do prédio da rua das Palmeiras comprado no final de 2012 pela Prefeitura de Joinville e jamais utilizado. O serviço vai custar R$ 85 mil. O plano da Secretaria de Educação é instalar centro de formação no espaço. O município pagou R$ 6,5 milhões pelo imóvel em 2012 (hoje, pela inflação, seriam R$ 9,4 milhões). À época, a meta era instalar a sede da secretaria no prédio.

Mais perto da decisão

Até sábado, sai a decisão do PSB sobre qual a penalidade a ser aplicada aos onze deputados federais favoráveis à reforma da Previdência. Rodrigo Coelho votou a favor da proposta e poderá ser alvo de punição, de advertência à expulsão. Se for expulso, Coelho ganha caminho livre para se filiar ao novo partido, pelo qual deverá concorrer a prefeito de Joinville. A lista tem PL, PSL e Podemos. Se não for expulso, o deputado tentará sair do partido por via judicial, uma forma de evitar riscos de perder mandato por infidelidade partidária. 

Sem presidente

Embora o anúncio tenha sido feito na segunda-feira pelo PSL/SC, a comissão provisória do partido em Joinville foi dissolvida já no sábado, conforme atualização exibida desde a terça-feira (27) pelo Tribunal Regional Eleitoral. O mesmo ocorreu em outras cidades do Estado. Dessa forma, Coronel Armando não é mais o presidente do PSL em Joinville. O encerramento do mandato das comissões municipais foi determinado pela executiva estadual do PSL como forma de renovação. Os novos dirigentes serão escolhidos até outubro. 

Sem afetar

O deputado Armando não contestou. “Minha intenção já era buscar maior representatividade do PSL de Joinville convidando outras lideranças do partido para comporem a executiva”, diz o ex-presidente, citando conversas com Sargento Lima e Rudinei Floriano. Outras lideranças serão procuradas. “Em Joinville, a desativação da Executiva não afeta pois já estávamos em processo de substituição”, alega Armando.

Influência em 2020

A escolha da nova direção do PSL de Joinville será decisiva para a escolha do candidato a prefeito em 2020. Se permanecer com Coronel Armando, é mantida a possibilidade de lançamento de um militar. Nesse caso, as chances de Derian Campos despencam. Agora, se o futuro presidente municipal for alguém ligado ao secretário de Assuntos Internacionais, Derian volta com tudo ao páreo. Até agora, o governador Carlos Moisés não se manifestou sobre a eleição.

Ficou como estava

Vitoriosas no pedido à Justiça para atendimento da planilha na definição da tarifa, as empresas de ônibus não chegaram a solicitar à Prefeitura de Joinville o complemento do reajuste do ano passado, afinal, a passagem ficou com valor menor. Mas ainda que as concessionárias não tenham feito o pedido, a decisão judicial já fez a determinação – a análise é se o cumprimento é agora ou pode ser no próximo aumento, válido para 2020.

Deixe seu comentário:

Jefferson Saavedra

Saavedra

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

jefferson.saavedra@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade