Navegue por

publicidade

Upiara

Primeira pesquisa

Ibope mostra disputa de desconhecidos pelo governo de SC

Compartilhe

Por Upiara Boschi
17/08/2018 - 20h10 - Atualizada em: 17/08/2018 - 20h11

Os números mais contundentes da primeira pesquisa Ibope para o governo do Estado não são os de intenção de votos dos nove candidatos. É preliminar um cenário que coloca Décio Lima (PT) na liderança com 16%, na faixa de empate técnico com Mauro Mariani (MDB), com 11%, ambos descolados de Gelson Merisio (PSD), que tem 6%. Os percentuais que importam neste momento são dos 23% de indecisos e - principalmente - os eloquentes 34% de brancos e nulos.

Veja os números do Ibope

A rigor, está explicitado nos números do Ibope o fato de que nenhum dos candidatos disputou outras eleições majoritárias. Mesmo sendo campeões de voto em disputas de deputado federal e estadual, Mariani e Merisio não tem o nome estadualizado de quem concorreu a governador ou senador e foi apresentado aos catarinenses no horário nobre dos programas eleitorais em eleições passadas.

Os números que ambos obtêm na primeira pesquisa são os de quem ainda precisa ser apresentado ao eleitorado. Mariani será vinculado ao MDB, maior partido do Estado, e naturalmente deve crescer nas próximas sondagens. Da mesma forma, Merisio será reconhecido como o nome da coligação que reúne PSD e PP como carros-chefe. Neste primeiro momento, deve colar nos candidatos a senador de sua chapa, os ex-governadores Raimundo Colombo (PSD) e Esperidião Amin (PP) - líderes da corrida pelas duas vagas ao Senado, de acordo com o Ibope.

Embora não tenha disputado eleições majoritárias estaduais, Décio Lima sofre menos que os oponentes com essa condição. Ele é reconhecido pelo eleitor petista, que já o encontra na pesquisa e o coloca nessa preliminar primeira posição. É reconhecido também pelo eleitor antipetista, que lhe concede a maior rejeição entre os candidatos - 21%. Curioso em um cenário de rejeição à classe política é ver números baixos de rejeição individual - mais um sintoma do desconhecimento. A rejeição está explícita nos 34% de brancos e nulos, que também tende a reduzir um pouco com a evolução da campanha.

Os números surpreendem menos na disputa pelo Senado, onde estão as figurinhas carimbadas da política estadual. Colombo com 27%, Amin com 23% na faixa de empate técnico com Paulo Bauer, de 19%. Em outra faixa, os 8% de Jorginho Mello (PR), os 7% de Ideli Salvatti (PT) e 6% de Roberto Salum (PMN) mostram quem pode entrar na briga da ponta.

O Ibope mostra que a disposição para o branco e o nulo são um pouco menores na corrida pelo Senado - 17% no primeiro voto, 21% no segundo. Nesse cenário, chama atenção a existência de 49% de indecisos - o que deixa a eleição completamente aberta. O eleitor emedebista ainda não aparece no levantamento e uma das maiores dúvidas é sobre seu comportamento diante da ausência de um nome do partido - embora Bauer e Jorginho tenham suplentes do MDB em suas chapas.

Os primeiros números do Ibope trazem informação para os candidatos trabalharem a largada de suas campanhas e para o eleitor começar a definir seus votos. É possível que muitos catarinenses tenham tomado contato com os nomes dos candidatos na noite de ontem, quando a pesquisa foi divulgada no NSC Notícias. O jogo vai realmente começar agora.

Deixe seu comentário:

Upiara Boschi

Upiara Boschi

Upiara Boschi

Faz a leitura e a análise do contexto do cenário político de Santa Catarina, com informações de bastidores. Explica motivações e consequências das principais decisões tomadas nos poderes do Estado.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação