Nos pênaltis, sul-americanos superam a França em final épica

Qualquer texto que se atreva a resumir esse Argentina 3 (4) x (2) 3 França em poucos parágrafos, falhará miseravelmente. Portanto, não cometerei esse erro.

Continua depois da publicidade

Receba notícias do DC via Telegram

Aliás, erro grave cometeu também quem ficou com os olhos longe da TV hoje, entre meio dia e três e pouco da tarde. Que dia bom para se estar vivo, senhores! Que dia bom para amar o futebol! Sim, tem quem não goste, vai entender.

E falando em vida, hoje também foi dia de presenciar o nascimento de um novo Deus para os argentinos. Lionel Andrés Messi finalmente recebeu do futebol o que o futebol lhe devia: a Copa do Mundo!

Continua depois da publicidade

E teve que ser assim, na sua quinta e derradeira tentativa, a primeira sem a presença física de Maradona, e no limite da idade para se jogar em nível Messi de atuação. E como ele jogou.

Com 7 gols ao todo, 3 deles na final contra uma quase invencível França, de um quase insuperável Mbappé, ele conseguiu ser decisivo em todos os momentos, assim como Diego em 86. E assim como ele, será reverenciado para todo o sempre, por argentinos e invejosos, como nós. Parabéns Messi, e obrigado pela paciência.

Leia mais

Enfim chegou! A Copa do Mundo é de Messi. É da Argentina

Aos 23 anos! Mbappé supera Pelé e quebra recordes na Copa do Catar; veja lista

Destaques do NSC Total