Ele veste a camisa 10 e trata bem a bola. O nome talvez ajude a explicar: Klysman Hanry Ribeiro Pereira é um dos destaques do Marcílio Dias nesta edição da Copa Santa Catarina. Com seis pontos e 100% de aproveitamento até aqui, o Velho Marinheiro é o líder isolado da competição, que dá ao campeão uma vaga na Copa do Brasil de 2024.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O meia canhoto diz que o nome é fruto de uma homenagem que o pai dele resolveu prestar a dois craques do futebol mundial: o alemão Jürgen Klinsmann e o francês Thierry Henry. O primeiro é um dos maiores atacantes da história do futebol alemão e conquistou a Copa do Mundo de 1990, na Itália. O segundo foi multicampeão pelos clubes onde atuou na Europa, é o segundo maior artilheiro da seleção francesa e ajudou os “Bleus” a ergueu a Copa do Mundo de 1998, na França.

– Meu pai é um grande fã de futebol, apaixonado por futebol, e se inspirou neles para o meu nome. No começo foi difícil, minha mãe não aceitava, achava o nome feio e falava que ser um nome mais brasileiro. E meu pai batia na tecla que tinha que ser, porque quando eu crescesse eu ia ser um jogador de futebol.

Jogador do Figueirense é detido e solto, suspeito de violência contra a mulher

Continua depois da publicidade

Com esses dois nomes, era difícil o menino nascido em Contagem, cidade da Região Metropolitano de Belo Horizonte (MG), não se tornar jogador de futebol. Os primeiros chutes em uma bola foram dados no campinho de terra que tinha perto da casa dele, no famoso “grotão”, como dizem os mineiros. O talento com a bola nos pés o levou para uma escolinha de futebol e depois para um time de competição. Foi então, que o garoto começou a rodar no mundo bola: Riachinho-MG, Frigoarnaldo-MG, Serranense-MG e Coimbra-MG.

Do terrão para Portugal

No Coimbra-MG, já na equipe Sub-20, o garoto fez um bom campeonato na base e foi promovido para a equipe profissional. Da equipe de Belo Horizonte ele foi para Portugal, e por seis meses defendeu o Leixões, da segunda divisão. No retorno ao Brasil, transferiu-se para o Villa Nova, de Nova Lima (MG) e depois para o Ipatinga-MG, antes de chegar a Itajaí para vestir a camisa do Marcílio Dias.

Lanchonete de SC paga R$ 10 mil a quem comer lanche gigante de 5 quilos

Aos 24 anos, Klysman Hanry diz que não teve a oportunidade de ver os dois jogar, mas reconhece que são duas estrelas do futebol internacional. Pelo que viu em vídeos, o camisa 10 do Velho Marinheiro diz que se identifica mais com o estilo de jogo do francês.

– São duas lendas, não tem como negar. Pelas minhas características, me identifico mais com o Henry. A qualidade no passe, no lançamento, nos dribles, a criatividade para fazer jogadas, pra chegar no gol, eu me identifico mais com o Henry.

Continua depois da publicidade

Veja Klysman Hanry em ação com a camisa do Marcílio Dias

Marcílio Dias em campo, mas longe de casa

Depois de uma semana de trabalho, o Marcílio Dias volta a campo neste fim de semana. A equipe de Itajaí vai até o Oeste do Estado para enfrentar o Concórdia no domingo (17), às 15h, no Estádio Domingos Machado de Lima.

Leia mais notícias do Esporte no NSC Total

O técnico Waguinho Dias tem problemas para montar o time. Com dores musculares, o volante Giba Carvalho é dúvida. Por outro lado, ainda no estágio final de recuperação, o lateral Felipe Santana e o atacante Jeferson Renan desfalcam a equipe e nem sequer viajam para o Oeste do Estado.

Leia também:

FOTOS: confira lista com os 10 jogadores mais valiosos da Champions League

Com apenas um brasileiro, veja indicados ao The Best 2023

As duas únicas equipes catarinenses da Superliga de vôlei se enfrentam em Blumenau

Destaques do NSC Total