publicidade

Esportes
Navegue por

Profissionais do Amador

Campeão do mundo pelo São Paulo, Flávio Kretzer agora joga no amador em Antônio Carlos

Goleiro foi reserva de Rogério Ceni e agora atua junto de parentes no Estrela Azul

01/10/2014 - 04h33 - Atualizada em: 01/10/2014 - 15h03

Compartilhe

Por Redação NSC
Flávio ainda treina quatro vezes por semana no Estrela Azul
Flávio ainda treina quatro vezes por semana no Estrela Azul
(Foto: )

No Centro de Antônio Carlos, na Grande Florianópolis, o goleiro Flávio Roberto Kretzer treina quatro vezes por semana no campo do Estrela Azul. Aos 35 anos, o atleta disputa o campeonato municipal e mantém a forma. Em 15 anos de profissão, ele jogou do Sul ao Nordeste do Brasil e tem no currículo o título Mundial Interclubes pelo São Paulo, no Japão.

Todo dia ele treina por 90 minutos, o tempo de um jogo, com trabalhos específicos de goleiro. São mais de 50 quedas. O corpo de 1,96 metro de altura e 94kg também sofre com os impactos do treino e do tempo.

- Foram cinco cirurgias na carreira, duas no joelho esquerdo, uma no direito, a retirada de um rim e da vesícula. Porque o que não te mata, te deixa mais forte - observa.Um ídolo que fez você vibrar ou sofrer pode bater aquela bolinha perto da sua casa.

::: Confira notícias no blog Amador Futebol Clube

::: Veja a primeira reportagem da série Profissionais do

Amador

::: Fernandes, ex-Figueirense, pode pintar no futebol sete

Altos e baixos também no cotidiano. Se durante anos treinava no impecável CT do Tricolor do Morumbi, cheio de conforto e ao lado de Rogério Ceni e do lateral Júnior, campeões da Copa de 2002, agora se troca no acanhado vestiário do clube da cidade natal, sem craques renomados. A bola também tem o seu gomo escuro. Em alguns clubes o normal é não receber o salário a cada 30 dias.

- Se juntar todos os períodos sem receber daria algo em torno de um ano e meio. Uma parte continua em juízo e outra a gente faz um acordo com os clubes - revela Flávio.

Anos incríveis

Em três temporadas defendendo o São Paulo, que o contratou devido aos bons jogos que fez pelo Avaí em 2003, Flávio conquistou o Paulista, a Libertadores e o Mundial, tudo em 2005, mas assistindo do banco o titularíssimo Rogério Ceni ser soberano na posição. Foram três anos, mas poucos jogos com a camisa do Tricolor.

- Fiz uma das minhas cirurgias no joelho em 2004 e fiquei um longo período afastado. Mas fiz cinco jogos no Brasileirão e cresci muito profissionalmente no São Paulo - conta.

VÍDEO: Assista a lances de Flávio Kretzer jogando pelo São Paulo

Jogando em casa

O time amador do Estrela Azul é uma paixão da família Kretzer. Adelino, pai de Flávio, é diretor do clube. O goleiro joga ao lado de vários parentes.

- Entre os atletas eu tenho um irmão, três primos e um cunhado. Ah, e tem mais um primo que é o auxiliar-técnico - comentou o goleiro.

Nas 10 cidades que morou durante a carreira, a preferida é uma de Santa Catarina: Blumenau, talvez porque Antônio Carlos também é colônia alemã.

- O Metropolitano é a minha segunda casa.

Clubes onde jogou: Internacional (RS), Figueirense, Avaí, São Paulo (SP), Sport (PE), Santa Cruz (PE), Paulista (SP), Brasil de Pelotas (RS), Novo Hamburgo (RS), Uberlândia (MG), Metropolitano, Fortaleza (CE) e Tombense (MG)

SELEÇÃO DE CRAQUES DO FUTEBOL AMADOR

O que vem por aí

::: Terça-feira - Confira a seleção de ex-profissionais no

amador

::: Quarta-feita - Flávio Kretzer, goleiro campeão mundial

::: Quinta-feira - Pedro Paulo, ex-Avaí, segue jogando aos 54 anos

::: Sexta-feira - Barbosa, um atacante muito alvinegro

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação