nsc
dc

Saúde

Chapecó tem três recuperados do coronavírus, queda nos suspeitos e volta da vacina da gripe 

Agentes de saúde estão ligando para pacientes de grupo de risco para verificar sintomas

06/04/2020 - 11h29

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Situação do coronavírus está sob controle em Chapecó
Terminal de transporte coletivo, aeroporto e rodoviária de Chapecó foram desinfectados
(Foto: )

Três boas notícias na área da saúde em Chapecó. Dos seis casos confirmados de coronavírus pelo Governo do Estado, três já estão recuperados. E o número de casos supeitos caiu de 18 para 10. Já são 42 casos descartados, segundo a Secretaria de Saúde do município.

As cerca de 300 agentes de saúde do município também estão auxiliando no combate ao Covid-19, num mutirão de ligações para os cerca de 30 mil pacientes de grupos prioritários como hipertensos, diabéticos, gestantes e puérperas. Quem tiver caso suspeito na família é encaminhado para uma consulta por telefone na Central de Triagem do Coronavírus, que funciona no telefone 2049-6500.

O objetivo é monitorar possíveis casos da doença sem a necessidade de contato pessoal. Apenas nos casos mais graves é encaminhado atendimento presencial.

​​​​> Em site especial, saiba tudo sobre o novo coronavírus

Chapecó também está retomando nesta segunda-feira a vacinação contra a gripe, nas 26 unidades de saúde e também nos postos específicos que foram criados nas escolas Tancredo Neves, na Efapi, e Pedro Maciel, no bairro Maria Goretti.

Posto de vacinação na escola Pedro Maciel, em Chapecó
Mais de 18 mil pessoas já foram vacinadas contra a gripe em Chapecó
(Foto: )

Nesta segunda-feira chegaram 4,6 mil doses da vacina da gripe. O município já tinha recebido 18.340 doses, que tinham acabado. Destas, 1.368 acamados foram vacinados em suas residências. Até o dia 16 de abril a prioridade é para os cerca de 15 mil idosos, com mais de 60 anos, e cerca de cinco mil profissionais da saúde.

A vacinação vai até 22 de maio e o público alvo é de 59 mil pessoas em Chapecó, o que inclui crianças menores de cinco anos, professores, indígenas e presos, entre outros.

Colunistas