nsc
nsc

Espaço do Trabalhador

Com estas dicas, fica mais fácil segurar o emprego durante a crise

Confiança e autocontrole são pontos que aumentam a empregabilidade

23/03/2017 - 00h03 - Atualizada em: 03/04/2017 - 07h08

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

O desemprego que atinge 10,6% da população economicamente ativa da Região Metropolitana da Capital, conforme dados de janeiro da Fundação de Economia e Estatística (FEE), não deixa dúvidas de que manter um trabalho ou conseguir um se tornou preocupação para boa parte da população. Desenvolver competências emocionais e planejar os próximos passos da carreira são os caminhos indicados por especialistas para ampliar a chamada empregabilidade (as chances de conquistar e manter um emprego).

Leia mais

Confira concursos com seleções abertas no Estado

IBGE contratará 26,4 mil pessoas para Censo Agropecuário

Quero Bolsa oferece mais de 35 mil bolsas de estudo no Estado

A dissertação de mestrado "Empregabilidade de Profissionais em Transição de Carreiras", defendida no Programa de Pós-Graduação do curso de Psicologia da PUC-RS, sugere que a inserção e a permanência no mercado de trabalho exigem do profissional desenvolver características emocionais e comportamentais – ou seja, não depende apenas das habilidades técnicas ou das condições econômicas.

Um dos aspectos analisados por Daniela Boucinha, autora do estudo e coordenadora do Escritório de Carreiras da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RS), é a decisão de carreira, ou seja, a definição firme de um direcionamento profissional.

– Quando não há clareza sobre os interesses e projetos profissionais, não basta haver vagas disponíveis – explica.

Estratégias

A confiança e o autocontrole também são variáveis que aumentam a empregabilidade. A consultora concluiu que, quando o profissional confia na sua própria competência, mesmo diante de obstáculos, e assume o controle como protagonista da sua carreira, o nível de inserção e permanência no mercado será maior.

– Quem não tem essas habilidades desenvolvidas pode buscar ajuda com um consultor de carreira ou um psicólogo, por exemplo – sugere Daniela.

Profissional que auxilia pessoas em suas carreiras, a coach Cibele Nardi acrescenta que é fundamental traçar um caminho dentro da empresa onde se atua, alinhando seus interesses com os da companhia, para verificar como manter o emprego e ainda almejar crescimento:

– O primeiro passo é definir qual o cargo mais alto que você quer ocupar e quando quer que isso aconteça. Após essa definição, metas mensais serão estabelecidas e estratégias serão elaboradas para cumpri-las – afirma.

Durante a trajetória em um trabalho, aprender uma nova língua, desenvolver a habilidade de mediação ou se especializar em alguma área são algumas das características que podem aumentar as chances de manter o trabalho e ser promovido. A principal competência emocional a ser buscada quando se está fora do mercado de trabalho é o autoconhecimento de pontos fortes e fracos, para saber o que é preciso fazer para ser recrutado o mais breve possível, recomendam consultores.

Como se garantir no emprego

- A postura profissional pode ser determinante para manter o emprego: estar disposto a ouvir críticas, aprender e se colocar à disposição para novos desafios são posturas sempre bem-vistas.

- Tenha clareza sobre seus objetivos e projetos pessoais, pois será mais viável identificar oportunidades no mercado e se manter motivado para o trabalho.

- É importante treinar comportamentos que muitas vezes podem ser um obstáculo, como autoconfiança e autocontrole. Pode ser válido consultar psicólogos e outros especialistas que ajudem a desenvolver esses comportamentos.

- Continuar desenvolvendo o currículo mesmo quando se está empregado é importante: fazer cursos de formação, trabalhos voluntários, participar de palestras e seminários, além de estudar línguas ajudam a manter sua reputação em alta no emprego.

- Saiba identificar oportunidades: mesmo em um mercado em crise, amplie os horizontes e procure enxergar onde estão as oportunidades em seu setor.

- Caso fique desempregado, não perca tempo buscando "culpados": a crise, o chefe que pegava no pé ou a empresa que não o valorizava, por exemplo. Procure olhar para dentro de si para descobrir quais são os seus pontos fortes e quais as fragilidades, em um processo profundo de autoconhecimento.

Mostre seu potencial nas entrevistas de emprego

- Procure demonstrar confiança em suas potencialidades, deixando claro que você sabe o que pode oferecer à empresa.

- As expressões corporais são um emissor de sinais importante, então, procure olhar o entrevistador nos olhos, manter uma postura adequada e gesticular na medida certa durante a entrevista.

- Tenha em mente seus objetivos de carreira: esta confiança será bem absorvida pelo entrevistador.

- Procure alinhar seu comportamento com os valores da companhia, demonstrando proatividade, disponibilidade e apetite por crescimento, por exemplo.

Fontes: assistente de carreiras e recrutadora do Núcleo de Empregabilidade da Universidade UNG, Maria Helena Neves, coordenadora do Escritório de Carreiras da PUC-RS Daniela Boucinha e coach Cibele Nardi.

Colunistas