Mesmo quem não é fã dos Beatles precisa reconhecer o tamanho do quarteto de Liverpool. A maestria musical de John Lennon, Ringo Starr, George Harrison e Paul McCartney marcaram a música e a cultura popular — algo que a cidade de Florianópolis, por exemplo, vai poder reviver ao vivo no dia 19 de outubro deste ano, data em que McCartney volta para o Estádio da Ressacada depois de 12 anos.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Clique e participe do canal do Hora no WhatsApp

A história da banda, entretanto, é reconhecidamente conturbada. Brigas e diferenças artísticas trouxeram um fim precoce para ela. E, por circunstâncias trágicas, a formação original dos Beatles nunca mais voltou aos palcos. Mas você já parou para pensar como era a relação de Paul McCartney com os outros ex-Beatles? Foi isso que buscamos saber e te trouxemos nessa matéria. Continue a leitura e confira.

Continua depois da publicidade

A relação de Paul McCartney com os outros Beatles 

Sir Paul McCartney é e sempre será orgulhosamente um ex-Beatle. Seu carinho pelo quarteto é tanto que ele rotineiramente toca muitas das músicas da banda em sua turnê. Para se ter uma noção, do setlist base da turnê “Get Back”, 20 canções são da banda, ou seja, mais da metade do show em média. Mesmo assim, a relação dele com os demais integrantes sempre foi de idas e vindas.

O bom relacionamento de Paul McCartney com Ringo Starr

Os dois últimos integrantes vivos do quarteto mantêm uma boa relação, mesmo que estejam um pouco distantes atualmente. Em entrevista para o jornal britânico Express, Starr revelou que eles sempre se encontram quando estão na mesma cidade ou no mesmo país, sendo que um entra em contato com o outro. Eles até tocam músicas em algumas dessas ocasiões.

Continua depois da publicidade

A turbulenta relação de Paul McCartney e George Harrison

George Harrison e Paul McCartney são amigos desde os tempos de escola — lá em 1954. Foi Paul, por exemplo, que apresentou Harrison à John Lennon. E mesmo que essa seja a relação mais longa desse fabuloso quarteto, não significa que não houve brigas entre os dois. À época da banda, Harrison queria mais créditos nas composições das canções.

A briga era tanta que, depois de um certo período, as diferenças musicais ficaram bem perceptíveis nas composições. Mesmo assim, em 1994, McCartney e Harrison voltaram ao estúdio para gravar fitas demo que John Lennon os havia deixado. Apesar de algumas discordâncias durante as sessões, os dois seguiram amigos até a morte de Harrison, em 2001.

As famosas brigas de Paul McCartney e John Lennon

Uma das relações mais bem documentadas do rock, John Lennon e Paul McCartney ficaram famosos não só por compôr os Beatles, mas também por suas brigas que, depois da separação da banda em 1970, se tornaram públicas. A tensão entre eles havia começado durante as gravações do último álbum de estúdios dos Beatles, “Let it Be”.

Continua depois da publicidade

Além das brigas envolvendo George Harrison, a presença constante da esposa de John Lennon, Yoko Ono, no estúdio, atrapalhava as gravações. 

Foi, contudo, somente depois da separação da banda que as declarações passaram a ser disparadas. John Lennon atacou os álbuns solo de McCartney, segundo o Express, dizendo que eles eram “bobagem”. Posteriormente, os dois se provocaram nas letras de suas músicas solo. “Too Many People”, no caso de Paul, e “How do You Sleep”, no caso de Lennon.

Mas, felizmente, Lennon e McCartney se reconciliaram ainda naquela década. Segundo a revista inglesa Far Out, os dois trabalharam juntos em um estúdio em 1974.

Continua depois da publicidade

Nos anos seguintes, Paul foi também avistado junto de John em Nova Iorque, em 1976. A boa relação entre os dois, porém, foi cessada em 1980, após Lennon ter morrido assassinado.

Leia mais

Paul McCartney fará show em Florianópolis em outubro

VÍDEO: A inesquecível carona com Paul McCartney

Fã de SC que viralizou com bebê cantando Beatles sonha em conhecer Paul McCartney

Destaques do NSC Total