nsc
nsc

Maputo

Doze mortos em suposto ataque islamita em Moçambique

25/11/2018 - 08h06

Compartilhe

Por AFP

Doze pessoas, incluindo crianças, morreram na região norte de Moçambique em um ataque atribuído aos islamitas, o que provocou a fuga de milhares de moradores para a vizinha Tanzânia.

"Na madrugada de sexta-feira aconteceu um ataque contra um vilarejo do distrito de Nangane, em uma zona que era patrulhada pelas forças de segurança. Os agressores mataram 12 pessoas", declarou à AFP uma fonte policial da província de Cabo Delgado.

O ataque aconteceu no vilarejo de Chicuaia Velha, a poucos quilômetros da fronteira com a Tanzânia.

Os moradores foram assassinados com machados ou dentro de suas casas incendiadas pelos islamitas, de acordo com a imprensa local.

Após o ataque, milhares de pessoas atravessaram o rio Rovuma e fugiram para a Tanzânia.

Há um ano, grupos islamitas que defendem a aplicação rígida do Corão espalham o terror em Cabo Delgado.

A rebelião preocupa as autoridades de Maputo e as grandes empresas de gás que começaram a atuar na região para explorar as reservas offshore.

O ataque de sexta-feira foi o terceiro no mês em Cabo Delgado. Vinte pessoas morreram nos atentados.

Este tipo de ação se tornou mais frequente desde que 200 pessoas suspeitas de participação em ataques começaram a ser julgadas em Pemba, região norte do país. Entre os réus estão cidadãos da Tanzânia, Somália e República Democrática do Congo (RDC).

* AFP

Colunistas