nsc
nsc

Reta final

Enem 2018: confira mais de 20 dicas para se dar bem nas provas

Exame será realizado nos dias 4 e 11 de novembro; saiba como usar a ansiedade da reta final ao seu favor

31/10/2018 - 06h51 - Atualizada em: 31/10/2018 - 06h52

Compartilhe

Por Redação NSC
Veja as dicas dos professores para ir bem nos testes
Veja as dicas dos professores para ir bem nos testes
(Foto: )

A oportunidade de ingressar na universidade está cada vez mais perto. Neste domingo (4) começa o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, com a aplicação das provas de Linguagens – que envolvem questões de língua portuguesa, literatura, língua estrangeira (inglês ou espanhol), artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação –, de Ciências Humanas – com conteúdos de história, geografia, sociologia e filosofia – e Redação.

No domingo seguinte, dia 11 de novembro, serão realizadas as provas de Matemática e Ciências da Natureza – que inclui física, química e biologia. Quer garantir sua vaga no Ensino Superior? Confira dicas para se preparar nesta reta final, orientações para a hora de realizar as provas e como usar a seu favor aquela ansiedade típica que antecede o exame.

Cinco dicas para a prova de Linguagens:

1- As provas de linguagens exigem muita leitura, por isso, é preciso estar preparado para encarar os textos com atenção e dedicação.

2- Devem ser cobradas questões que envolvem variação linguística e regionalismo. Vale a pena estudar a variabilidade das formas de falar em nosso país e as diferenças das características de cada uma.

3- Não confunda função de linguagem e figura de linguagem. A função está ligada à intenção do texto, como uma propaganda, por exemplo, que tem o objetivo de convencer. Já a figura refere-se à estilística do texto, como um autor que faz exagero para chamar a atenção em uma poesia. Ele está usando uma hipérbole, uma figura de linguagem.

4- É importante estudar os níveis de linguagem, avaliando se o texto possui mais características da oralidade ou da norma culta. Como por exemplo, quando alguém diz “vi meu amigo e abracei ele”. Na fala, isso é comum. Na escrita, o correto é “abracei-o”.

5- Outro tópico importante de se revisar é a intertextualidade, ou seja, como textos se conectam. Na prova, haverá questões relacionando a língua portuguesa com a literatura, analisando, por exemplo, uma música que tem releitura de uma poesia.

Cinco dicas para a prova de Redação:

1- Quando você for praticar a redação, controle o tempo durante o treino de escrita, buscando alcançar a média de uma hora para a elaboração. Para ter uma boa preparação, busque informações úteis sobre possíveis assuntos que podem ser tema (confira mais abaixo as apostas para este ano). Além disso, é importante rever as propostas dos anos anteriores, para se familiarizar com as temáticas da prova.

2- Estude as cinco competências avaliadas na redação:

Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

3- Leia com atenção a proposta e organize suas ideias antes de começar o rascunho. É fundamental selecionar as informações que serão úteis para a argumentação e o desenvolvimento do seu texto. Problematize o tema frente à sociedade contemporânea, ressaltando a sua relevância para a discussão apresentada. É possível mencionar fatos do passado, desde que sirvam de análise para o contexto atual.

4- Apresente um repertório sociocultural produtivo em seu texto. Para isso, é importante acrescentar recursos como fato histórico, citação, dado estatístico, referência literária ou cinematográfica, notícia, entre outros. Lembre-se de que não basta mencioná-lo, pois a produtividade está relacionada à pertinência e análise da informação a favor de seu ponto de vista.

5- Para não zerar a prova é preciso escrever no mínimo oito linhas a caneta. Não fuja do assunto proposto, nem copie os textos motivadores. As informações apresentadas nesses textos podem ser usadas na sua redação, desde que não haja trechos copiados. Lembre-se: o título não é obrigatório, portanto, sua ausência não zera a redação.

Cinco dicas para a prova de Ciências Humanas:

1- Tome cuidado com o tempo da prova. O exame de Ciências Humanas é um dos mais extensos. Treine as provas anteriores com um relógio ao lado: coloque o celular para despertar a cada meia hora para ter uma noção da passagem de tempo.

2- É importante ler a questão inteira, dando atenção às referências abaixo do texto do enunciado, analisando onde e o ano em que foi publicado. Isso pode ajudar a compreender melhor sobre o que se trata a questão e até mesmo a eliminar algumas alternativas.

3- Analise conceitos básicos das Ciências Humanas. Lembre-se: não é hora de revisar tudo, devido ao tempo que resta. Estude os principais autores e principais conteúdos que caem na prova.

4- Estude os conceitos elementares de autores clássicos: Karl Marx, Émile Durkheim e Max Weber. E teorias éticas modernas e contemporâneas: Kant, Utilitarismo, Niilismo e Existencialismo.

5- Revise conceitos da contemporaneidade: democracia representativa x democracia deliberativa, direitos civis x direitos sociais, além de conceitos centrais de Pré-socráticos, Platão e Aristóteles. Outro tema importante é a desigualdade social nas questões de raça (brancos, negros e índios) e gênero no Brasil (Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Holanda, Darcy Ribeiro e Florestan Fernandes).

Cinco dicas para a prova de Matemática:

1- Nestes últimos dias que antecedem o exame de matemática, deve-se priorizar os tópicos mais frequentes na prova dessa disciplina.

2- Para reforçar fórmulas e regras a melhor forma é a repetição. Escreva e reescreva estas em folhas de resumo.

3- Cerca de 35% das questões do exame estão relacionadas aos conteúdos de geometria plana e espacial, 30% aos conteúdos de matemática básica, tais como razão, proporção, regra de três e porcentagem.

4- Refaça provas anteriores para conhecer a formatação das perguntas e como os conteúdos são abordados.

5- Na hora do exame, só resolva as questões difíceis depois que as fáceis e as médias estiverem resolvidas.

Cinco dicas para a prova de Ciências da Natureza:

1- Antes da prova, procure conversar sobre assuntos diversos que não tenham relação com o exame. Mas, se você é daquelas pessoas ansiosas que não consegue ficar sem dar uma olhadinha nos conteúdos, leve pequenos resumos, esquemas e até mesmo formulários que foram feitos durante o ano de estudos e fique revisando antes da prova.

2- Na hora do exame, é preciso cuidar o tempo para cada questão, se você notar que está muito tempo em uma, passe logo para outra.

3- Nas questões de biologia, é preciso ter muita atenção na pergunta final das questões, que ficam depois dos enunciados, pois, muitas vezes, a pergunta não se refere diretamente ao que está descrito no texto. Nas questões que são mais longas, é importante anotar dados relevantes, montando um mapa conceitual, assim, fica melhor para observar o que a questão está pedindo. Para se preparar, é importante revisar assuntos relacionados ao meio ambiente, saúde e prevenção de doenças.

4- Para a prova de química, é importante revisar nesta reta final conteúdos que envolvem ligação intermolecular, fazendo relação entre ponte de hidrogênio e ligações de Van der Waals. Vale, ainda, rever estequiometria, além das funções orgânicas, principalmente as oxigenadas e nitrogenadas.

5- A prova de física tem como objetivo analisar se o aluno consegue lidar com a física, diante da realidade que o cerca, associando aos fenômenos que estudou no colégio. É importante revisar os conteúdos de eletricidade — fenômeno eletromagnético, potência e energia elétrica —, mecânica — leis de Newton e energia mecânica — além de fenômenos ondulatórios, como por exemplo, som e luz, que estão presentes em nosso dia a dia, e ondas eletromagnéticas, como celulares e aparelhos de raio x, por exemplo.

Três dicas para usar a ansiedade a seu favor:

1- Ansiedade está relacionada a um mecanismo primitivo de luta e fuga, e isso nos deixa alerta. Se ficarmos muito alertas, podemos perder o foco. Quando esse sentimento está na medida justa para o tamanho do desafio, ele ajuda a manter a atenção. A boa preparação controla a ansiedade. Por isso, a rotina de estudos e o conhecimento sobre as provas são essenciais.

2- Para trabalhar a saúde mental nos dias que antecedem as provas, organize a rotina com antecedência. Não tente aprender o que não conseguiu às vésperas da prova, foque no que já sabe, para dominar o conhecimento já adquirido. Lembre-se de preservar momentos de descontração para liberar a tensão natural. É preciso relaxar, mas não desfocar completamente.

3- Uma dica para quem quer relaxar sem perder o foco é aplicativo 'Medite.se': é um app de meditação simples com sete sessões básicas, gratuitas e em português. No total, são 27 sessões guiadas – todas pela voz do criador Tadashi Kadomoto – e duas não guiadas, apenas com trilhas. Vale lembrar: pesquisas indicam que a meditação ajuda na concentração.

Fontes: Adrô Lara, professor de física; Ávila Oliveira, professor de português e redação; Bruno Baltazar, professor de matemática; Elói Fernandes, professor de matemática; Enio Kaufmann, diretor do Unificado e professor de física; Fábio Vasques, professor de inglês; Guto Braul, professor de biologia; Luiz Ferrari, diretor e professor de química; Manoela Ziebell de Oliveira, psicóloga e coordenadora do Grupo de Estudos de Desenvolvimento de Carreira da PUCRS; Michael de Souza Cruz, professor de filosofia e sociologia; Patrícia Zanella, professora e coordenadora da equipe de redação do Unificado; Rafael Bassi, professor de história, filosofia e atualidades; Roberta Spessatto, professora de espanhol.

Confira também as notícias da Grande Florianópolis

Colunistas