Romário x Uruguai. É assim que algumas pessoas chamam o jogo que aconteceu no dia 19 de setembro de 1993 e garantiu a vaga do Brasil na Copa do Mundo de 1994. Na época, Carlos Alberto Parreira era o técnico e Zagallo, o auxiliar técnico, de uma seleção brasileira que só teve Romário na última hora.

Continua depois da publicidade

Leia mais notícias do Esporte no NSC Total

Clique aqui para entrar na comunidade do NSC Total Esporte no WhatsApp

A relação entre Zagallo e Romário nunca foi boa. Antes do jogo decisivo em 1993, Romário estava há meses na ‘geladeira’ da seleção brasileira. Depois de um amistoso do Brasil contra a Alemanha, em dezembro de 1992, em Porto Alegre, Romário cobrou uma vaga no time titular.

Parreira e Zagallo não gostaram nada da história e deixaram Romário fora dos jogos seguintes. A seleção disputou três amistosos, uma Copa América e um torneio nos Estados Unidos, sem Romário ser convocado. Na época, o ‘baixinho’ estava jogando no Barcelona.

Continua depois da publicidade

Quando as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 1994 começaram, o Brasil não ia nada bem. Depois de uma derrota para a Bolívia por 2 a 0, a primeira da seleção em Eliminatórias, a situação começou a ficar mais complicada.

Careca, era atacante do Napoli, da Itália, na época, e pediu para deixar a seleção, alegando que faltava ‘espírito de seleção’ no time. Todos pensavam que Romário iria ficar com a vaga dele, mas Parreira e Zagallo seguiram sem convocar o camisa 11 e Valdeir entrou no lugar de atacante.

O jogo decisivo de 1993 entre Brasil x Uruguai

O Brasil fazia parte do Grupo B e chegou na última rodada empatado com o mesmo número de pontos com Bolívia e Uruguai. Para se classificar, precisaria empatar com o bicampeão Uruguai no Maracanã. Müller, que tinha sido titular nas últimas partidas, se lesionou.

A Bolívia ganhou o jogo contra a Venezuela e se classificou. O Brasil precisava vencer o Uruguai. Nas ruas, a pressão popular para que se convocasse Romário era imensa.

Continua depois da publicidade

— O Brasil corria o risco de não ir à Copa dos Estados Unidos e o melhor jogador do mundo não era sequer convocado, devido a uma birra de Zagallo, então assistente do técnico Carlos Alberto Parreira — lembrou César Seabra, então chefe da editoria de Esportes do jornal “O Globo”.

Em uma entrevisa ao extinto programa de Galvão Bueno no Sportv, o ‘Bem Amigos’, Parreira lembrou do momento em que viu que precisava convocar Romário. Com Müller machucado e Valdeir não indo bem na partida contra a Venezuela, o técnico chegou a um acordo com Zagallo e chamaram o baixinho.

— Eu estava em Angra, falei: “O jogo contra o Uruguai não é mais um amistoso”. Eu vim matutando e falei: “É a vez do Romário”. Cheguei em casa, e liguei para Zagallo: “Estou trazendo o Romário.’ Zagallo, na hora: “Parreira, está certo” — revelou o técnico do tetracampeonato.

Quem também lembra desse episódio é o o jornalista e colunista da NSC, Chico Lins, que afirma que o último jogo pelas Eliminatórias entre Brasil x Uruguai era uma tragédia anunciada.

Continua depois da publicidade

— Tinha toda uma lembrança de 1950, do “Maracanazo”, perder para o Uruguai, novamente, e a possibilidade da seleção, que não estava tão bem, ficar fora da Copa do Mundo pela primeira vez. Esse era o contexto. Diante dele, o perdão ao Romário foi dado, ele foi para o jogo e arrebentou. Ganhamos por 2 a 0 do Uruguai e conseguimos a classificação — relembra Chico Lins.

O Brasil venceu o Uruguai com dois gols de Romário. No segundo tempo, o atacante fez um de cabeça e outro driblando o goleiro. Depois da classificação, o Brasil fez uma campanha vitoriosa na Copa de 1994, nos Estados Unidos, com Romário sendo decisivo em vários momentos.

A relação conturbada entre Zagallo e Romário

Mesmo com o título, a relação entre Zagallo e Romário nunca conseguiu ser amena. Dois anos depois da Copa de 1994, ele ficou de fora das Olímpiadas de Atlanta. Romário também não foi convocado para o mundial seguinte. Em uma entrevista ao canal do YouTube “Que Papinho“, Romário lembrou da relação com o “Velho Lobo”.

— A minha relação com eles, principalmente com o Zagallo, era tão ruim que, dois anos depois, não tinha como ele não me levar para as Olimpíadas. Ele não levou. O Zagallo me tirou uma Olimpíada e uma Copa. Eu poderia estar lá — disse Romário.

Continua depois da publicidade

Depois disso, o baixinho chegou a mandar pintar uma caricatura de Zagallo, sentado em um vaso sanitário, nas portas do banheiro de um bar em que era dono. O Velho Lobo processou Romário por uso indevido da imagem e ganhou uma indenização.

Neste sábado (6), mesmo dia em que Zagallo morreu, Romário, que atualmente é senador, tomou posse como presidente do América, clube do Rio de Janeiro, após ter sido eleito em novembro. Ao ge, o ex-jogador comentou sobre a morte do eterno Zagallo.

— Zagallo tem a mesma importância de um Pelé. Sempre foi muito vitorioso, deixou um legado importante para todos nós. Dia triste para o futebol. Todos sabem da minha relação com ele. Na verdade, a gente não tinha relação, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, tenho que admitir — disse.

Relembre as principais conquistas de Zagallo no futebol

Continua depois da publicidade

Assista também

*Pablo Brito é estagiário sob a supervisão de Diogo Maçaneiro

Confira a tabela dos times catarinenses na Copa São Paulo de Futebol Júnior

Neymar, Isac Niltton, Denzel Washington: veja os apelidos mais curiosos da Copinha

Publicidade

Além de muita informação relevante, o NSC Total e os outros veículos líderes de audiência da NSC são uma excelente ferramenta de comunicação para as marcas que querem crescer e conquistar mais clientes. Acompanhe as novidades e saiba como alavancar as suas vendas em Negócios SC

Destaques do NSC Total