nsc
    santa

    Educação 

    Famílias precisam fazer cadastro para receber kits de alimentação escolar em Blumenau 

    Produtos da agricultura familiar serão distribuídos na próxima semana

    16/04/2020 - 21h16

    Compartilhe

    Bianca
    Por Bianca Bertoli
    Medida destina valores das merendas aos estudantes que estão em casa por conta do coronavírus
    Medida destina valores das merendas aos estudantes que estão em casa por conta do coronavírus
    (Foto: )

    Famílias interessadas nos kits de alimentação que os estudantes da rede municipal de ensino de Blumenau têm direito devem fazer um cadastro virtual. O formulário precisa ser preenchido entre esta sexta-feira (17) e a próxima terça (21). Clique aqui para acessar o link. A partir da semana que vem os alimentos de agricultores da região serão distribuídos em pontos estratégicos da cidade, como as próprias escolas e Centros de Educação Infantil (CEIs).

    Não precisam preencher o cadastro as famílias que recebem o Bolsa Família. Nestes casos as crianças obrigatoriamente receberão os produtos, além de uma cesta básica paga pela Assistência Social do município. Crianças que frequentam as ONGs credenciadas pela prefeitura também têm direito à alimentação.

    — Cada filho é um novo cadastro, então se você tem mais de um matriculado na rede municipal, faça o cadastro de acordo com a quantidade de matrículas. Ninguém é obrigado a buscar, mas segundo a lei vamos oferecer para todos — explica a secretária de Educação, Patricia Lueders.

    O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) repassa cerca de R$ 15 reais mensais por aluno para a aquisição de alimento para a merenda escolar. Sem as aulas presenciais por conta do novo coronavírus, as prefeituras foram autorizadas a repassar o valor em forma de alimento a cada estudante. As famílias que abrirem mão dos kits permitirão que outros estudantes recebam mais alimentos que o previsto.

    ​> Quer receber notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do Santa

    — É um valor pequeno, significa 20% da alimentação escolar, por isso complementaremos com recurso próprio para as crianças que mais precisam. Também teremos que ter cuidado na compra, já que são produtos da horta, que vencem rápido. Priorizaremos aqueles que resistem mais, como o mel, aipim e batatas, por exemplo — detalhou a secretária.

    Na próxima semana os pais serão informados sobre onde e quando buscar os produtos.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas