nsc
an

Violência contra mulher

Homem suspeito de jogar líquido fervendo na ex-companheira se apresenta à polícia em Joinville

Lauri Amado de Souza Nery foi à delegacia de proteção à mulher na tarde desta segunda-feira acompanhado do advogado

02/02/2015 - 16h30 - Atualizada em: 04/02/2015 - 06h46

Compartilhe

Por Redação NSC
Filhos de 23 e 30 anos acompanham mãe no hospital e clamam por justiça
Filhos de 23 e 30 anos acompanham mãe no hospital e clamam por justiça
(Foto: )

O homem suspeito de jogar um líquido fervendo na ex-companheira em Joinville se apresentou com um advogado na delegacia de proteção à mulher na tarde desta segunda-feira.

Lauri Amado de Souza Nery estava sendo procurado desde a última quinta-feira por tentativa de homicídio, pois as lesões deixaram a mulher em estado grave no hospital. Ele foi preso logo após o interrogatório feito pela delegada Tania Cristina Duarte Harada, por meio de um mandado de prisão preventiva. O inquérito deve ser concluído em 10 dias.

:: Leia as últimas notícias de Joinville e região

Lauri negou a tentativa de homicídio e justificou o episódio como sendo acidental. Ele relatou em depoimento que aqueceu o óleo para fritar um alimento e que teria resolvido jogar o óleo nos cachorros. Porém, a mulher teria aberto a porta no momento em que ele jogou o líquido e teria se queimado. A justificativa do suspeito é de que teria ficado com raiva porque a mulher não teria deixado ele ficar com os cachorros após a separação.

A mulher sofreu queimaduras de terceiro grau no rosto e em várias partes do corpo. Ela está internada desde a última quarta-feira.

De acordo com a filha da vítima, Lauri entrou na casa durante a madrugada, aqueceu o óleo, chamou a mulher que estava dormindo e jogou o líquido quando ela saiu do quarto.

- Ele ainda tinha a chave de um dos portões. Ele entrou, ferveu o óleo, entrou no quarto, deu uma risada e quando ela saiu no corredor ele jogou (o líquido) e disse: 'agora você não fica com mais ninguém' - relatou a filha à reportagem de AN.

A moça de 23 anos acordou com os gritos de socorro da mãe. Quando correu para ajudá-la, o homem não estava mais na casa.

O casal estava se separando. Segundo a filha da vítima, a separação estava acontecendo de forma amigável e o ex-companheiro da mãe não tinha histórico de agressão. Nos dias que seguiram o trágico episódio, familiares afirmam que continuaram recebido ameaças do suspeito.

A mulher está internada na ala de queimados de um hospital de Joinville. Ela está sendo acompanhada por um oftalmologista, pois o líquido atingiu os olhos, e um cirurgião plástico. Não há previsão de alta.

Nesta semana, outro caso de violência contra a mulher chocou a cidade. Um homem assassinou a companheira com três tiros e depois se matou. O crime ocorreu no Comasa, zona Leste. Ademir Campos de Oliveira deu dois tiros na cabeça e um no braço de Eliane Aparecida. Após cometer o crime, ele disparou contra a própria cabeça e morreu na hora, na casa da vítima. Eliane tem duas filhas, mas elas não estavam no local na hora do crime.

Colunistas