nsc
hora_de_sc

Nas redes sociais

Influenciadora catarinense diz que foi agredida pelo próprio pai por homofobia

Diversos internautas compartilharam as postagens

12/05/2020 - 11h03 - Atualizada em: 14/05/2020 - 10h58

Compartilhe

Marina
Por Marina Martini Lopes
Influencer
(Foto: )

Uma maquiadora e influencer catarinense fez nas redes sociais um relato que chocou seus seguidores nesta segunda-feira (11). Ela contou que teria sido agredida pelo próprio pai.

Segundo a jovem, ele teria invadido a casa onde ela mora em Governador Celso Ramos. Ela disse que a agressão foi motivada por homofobia, uma vez que namora uma menina. A maquiadora postou um vídeo de cinco segundos em que aparece no chão, chorando, com machucados na perna. Ela escreveu:

"O dia foi longo. Tivemos a nossa casa invadida, eu estava sozinha e apanhei igual cachorro, em cima da minha própria cama e depois na rua, deitada! Mas homofobia não existe, né? Qual o nome que vocês dão para quem bate em filha porque ela fica com menina? Eu estou fora de moda ou não se chama mais homofobia?".

A influencer compartilhou também um áudio de WhatsApp em que alguém a acusa de "tentar ficar famosa" por meio da denúncia. "Gente, sério que tem gente que consegue pensar em uma merda dessa?", respondeu. "Essa pessoa acha que estou gravando trolagem para o meu canal do YouTube?".

"O dia em que eu ficar famosa, se um dia eu ficar, certamente vai ser pelo meu trabalho, meu talento, e não com uma história triste, porém real da minha vida", completou. "Eu desabafo aqui primeiro porque o perfil é meu; e segundo que eu não posso mais me calar diante de situações e coisas que tenho que ouvir porque ainda tem muita gente que passa pelo que eu já me livrei, e passa calado. Eu posso falar, eu vou falar."

Depois das postagens, vários internautas compartilharam o relato da catarinense, acompanhado de uma hashtag. Os posts repercutiram especialmente depois que a apresentadora Maisa Silva twittou a respeito, escrevendo em seu perfil na rede social: "Sim, ainda temos que repetir que homofobia é crime. Que ódio viver num mundo onde as pessoas não podem amar sem temer. Não me conformo. Fica também a atenção aí pra galera lembrar que nem toda relação familiar é boa e que a gente tem que parar de achar que tudo é um mar de rosas."

Nesta quarta-feira (13), por meio da assessoria de imprensa, o Ministério Público informou que todas as medidas cabíveis já foram adotadas na Comarca de Biguaçu. "Há procedimentos instaurados no MP e na Delegacia de Policia sim, mas como o processo corre em segredo de justiça, não podemos fornecer mais detalhes", completa a nota.

Colunistas