nsc

publicidade

Corrida

Minha primeira maratona: treinos, disciplina e ansiedade antes dos 42km em Florianópolis

Corredora amadora conta como foi a preparação para a Maratona Internacional de Floripa, que acontece neste domingo

24/08/2019 - 10h55

Compartilhe

João Lucas
Por João Lucas Cardoso
Greici Capellari vai correr a primeira maratona neste domingo em Florianópolis
Greici Capellari vai correr a primeira maratona neste domingo em Florianópolis

A enfermeira Greice Capellari, de 26 anos, vai encarar pela primeira vez uma corrida de 42km. Ela estará entre os 10 mil corredores da Maratona Internacional de Floripa, que será realizada neste domingo em Florianópolis. Corredora amadora, no começo de 2019 decidiu encarar a distância e durante a preparação aprendeu mais que disciplina. Confira o relato a seguir.

> Maratona Internacional de Floripa reforça presença feminina na corrida em SC

Minha primeira maratona

Oi. Eu sou Greci Capellari, tenho 26 anos e sou enfermeira. Faço doutorado em enfermagem, sou apaixonada por corrida e vou fazer minha primeira maratona.

A minha primeira prova de corrida foi há dois anos. Fiz os cinco quilômetros em 2017 e vou correr novamente na Maratona Internacional de Floripa, mas para fazer os 42 quilômetros. Há dois anos eu comecei a correr inspirada por amigos que corriam longas distâncias e porque não fazia o que recomendava aos pacientes que atendia. Orientava a ter uma vida mais saudável, com rotina de exercícios, mas falava e não fazia.

A corrida se tornou parte importante da minha vida desde então. Com ela eu aprendi que posso fazer coisas que parecem difíceis. Por mais que eu esteja cansada, principalmente no aspecto mental por causa do doutorado, ao correr eu consigo organizar minhas ideias, é uma conexão comigo mesmo. A corrida me deixa mais forte e confiante.

Já fiz meias maratonas, cheguei a subir em pódio e ganhar troféus em minha categoria (por faixa etária). Mas a preparação para uma maratona é diferente. Eu me tornei mais disciplinada. Organizo melhor meus horários, seja para treinar ou para a rotina pesada que o doutorado exige. Este é outro reflexo que trouxe para a minha vida. E os treinamentos são afirmação de que sou forte e que consigo.

Estou ansiosa para a largada, ás 6h10min de domingo, no Trapiche da Beira-Mar Norte. Acho que por ser enfermeira, temo passar mal, ter um piriri ou vomitar. Porém, depois eu lembro que a minha preparação foi certinha ao longo dos últimos meses e penso que vai dar tudo certo. Vai dar tudo certo. Cheguei a ensaiar a minha chegada nos treinos com amigos. Quero soltar um grito ao cruzar a linha de chegada e, se chegarmos juntos, bater uma foto com meu namorado (Lincoln Moura), que também vai fazer a primeira maratona da vida dele.

Depois que corri os 5km há dois anos, neste mesmo evento, percebi que podia mais e fui adiante. Decidi fazer uma maratona no começo do ano e desde então tenho me preparado. Neste domingo vou poder dizer para todo mundo: sou maratonista.

Leia mais notícias do esporte em Santa Catarina.

Deixe seu comentário:

publicidade