Um dos desaparecimentos mais misteriosos do século XX foi o de Amelia Earhart. Apesar de ela ser uma figura lendária na aviação, que inspirou muitas mulheres ao redor do mundo, muitos lembram dela por conta de seu misterioso sumiço. Continue a leitura e confira os detalhes sobre quem foi Amelia Earhart e as mais recentes informações de seu desaparecimento.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Clique e participe do canal do Hora no WhatsApp

Quem foi Amelia Earhart?

Amelia Earhart nasceu em julho de 1897 no Kansas. Durante a 1ª Guerra Mundial ela trabalhou em um hospital militar, onde tinha contato com aviadores, o que fez com que ela curtisse o tema “aviação”.

Continua depois da publicidade

Mas foi só na década de 1920, segundo o National Human History Museus, que a sua vida mudou nesse sentido. Isso porque, na época, George Putnam —um editor que, mais tarde, viria a ser seu marido — a convidou para ser a primeira mulher a atravessar o Atlântico como passageira. Posteriormente, ela virou a editora de aviação da revista “Cosmopolitan”, visto que também era escritora.

Em 1932 ela se tornou a primeira aviadora mulher a atravessar o Atlântico pilotando. Com isso, ela ganhou diversos prêmios e ajudou a fundar a Ninety-Nine, uma associação de mulheres aviadoras.

O desaparecimento de Amelia Earhart

No dia 1º de junho de 1937, prestes a completar 40 anos, Amelia Earhart saiu de Miami com o navegador Fred Noonan, buscando ser a primeira mulher a voar ao redor do mundo. Faltando pouco mais de 10.000 quilômetros em sua empreitada, enquanto sobrevoava o Oceano Pacífico, seu avião perdeu contato de rádios com as torres de controle e desapareceu.

Continua depois da publicidade

O voo deveria fazer uma escala em uma pequena ilha chamada Howland, mas nunca chegou lá. Segundo o relatório do governo dos Estados Unidos, o avião de Earhart e Noonan teve pane seca e caiu no mar. Mas até hoje o acontecido gera mistério. Uma teoria sugere que eles foram feitos prisioneiros pelos japoneses, que tinham domínio de ilhas do Pacífico no período Pré-Segunda Guerra.

Encontro de ossada pode esclarecer

O caso manteve-se um grande mistério durante décadas até que, em 2018, uma ossada encontrada na remota ilha de Nikumaroro em 1940 foi reexaminada. Ao que tudo indica, ela pertence a Amelia Earhart. Porém, foi só recentemente que uma pesquisa passou a relacionar o DNA dos ossos com o da aviadora.

Além de bater próximo ao local onde o avião perdeu a comunicação, um artigo da Universidade de Penn State revelou que esses ossos estão mais próximos do DNA de Amélia do que o de 99% do resto da população. Portanto, é seguro afirmar que esses eram, de fato, os restos mortais do ícone da aviação.

Continua depois da publicidade

Leia mais

As gírias da década de 1960 que você pode nem saber o que significam

A vida das celebridades antes da fama

Destaques do NSC Total