nsc

publicidade

Operação Águas Limpas

"Prefeito está tranquilo, seguro", diz advogado sobre prisão de Elizeu Mattos

Confira a defesa dos denunciados pelo esquema de propina em Lages.

07/12/2014 - 13h43 - Atualizada em: 07/12/2014 - 15h56

Compartilhe

Por Redação NSC

A defesa do prefeito de Lages afastado Elizeu Mattos (PMDB), representada pelos advogados Ruy Samuel Espíndola e Rodrigo Valgas, reclamou da demora em ter acesso à denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC). Ruy explica que chegou a solicitar o documento durante a semana:

- Na quarta-feira eu fui ao Tribunal para ter uma cópia do processo, mas não tive retorno. Fiz o mesmo na quinta-feira e a resposta que tive da desembargadora é que o processo era muito extenso e eu precisaria ter paciência. No entanto, a decisão saiu após o fechamento do Tribunal, algo novo para mim em 20 anos de carreira advocatícia.

Leia mais:

:: "É momento de pensar na cidade", afirma vice-prefeito de Lages após prisão de Elizeu Mattos

:: A peça chave que levou à prisão do prefeito de Lages

:: MP diz que prefeito de Lages teria recebido R$ 2,8 milhões em propina

O advogado ainda explicou que só conseguiu ter acesso ao processo sexta de tarde. Desde então, uma equipe está analisando o documento para a defesa apresentar um pedido. Sem entrar em detalhes sobre o teor da denúncia, Ruy Espíndola ainda falou sobre como o prefeito está reagindo à prisão.

- O prefeito está tranquilo, seguro. Não tenho dúvidas de que essa decisão pode ser revogada.

Outros denunciados

-Vilson Rodrigues da Silva, secretário Municipal de Águas: nenhum representante foi localizado para tratar sobre o assunto.

- Antônio Carlos Simas, motorista: ninguém atendeu na residência do Antônio Carlos Simas para comentar a prisão.

- Jaison Luis Mendes Ouriques, funcionário comissionado da Secretaria de Águas: o telefone utilizado por Jaison, de acordo com o processo, estava fora de área.

- Arnaldo Scherer dos Santos, sócio-proprietário da Viaplan: não atendeu o celular e também não estava na sede empresa Viaplan, em Curitiba, sexta à tarde, às 18h, quando a reportagem do DC entrou em contato.

- Julian Scherer Santos, representante da Viaplan em Lages: não atendeu o celular durante a sexta-feira.

- Kátia Regina Borges Hilmann, chefe de licitações da Prefeitura de Lages: não atendeu o celular durante a sexta-feira.

- José Wolnei Constante, funcionário comissionado da Prefeitura de Lages: não foi localizado para comentar a acusação.

- Fabrício Reichert, consultor jurídico da Viaplan: ninguém atendeu o telefone no escritório que o Fabrício mantém em Lages, de acordo com o arquivo da OAB-SC.

- Fabiano Henrique da Silva Souza, procurador do Município de Lages: sexta à tarde, a redação tentou contato com Fabiano por celular e no escritório que ele mantém em Florianópolis, segundo dados da OAB-SC. No entanto, não houve resposta nos dois números.

Deixe seu comentário:

publicidade