nsc
santa

Educação

Secretário faz comparação entre escolas e causa revolta em Gaspar: "Estudava para ser empregado”

Comentário sobre unidade pública e particular gerou polêmica entre professores; alunos exibiram faixa a favor do colégio

07/07/2021 - 19h30 - Atualizada em: 08/07/2021 - 14h43

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Secretário diz que fez uma crítica ao sistema público de educação do Brasil e não à escola
Secretário diz que fez uma crítica ao sistema público de educação do Brasil e não à escola
(Foto: )

Uma fala do secretário de Educação de Gaspar, Emerson Antunes, sobre a qualidade do ensino de uma escola pública da cidade causou reação de professores e está gerando polêmica no município.

Em uma palestra on-line no final de junho, Antunes fez uma comparação entre a escola Honório Miranda, da rede pública estadual, e um colégio particular que fica em frente à escola, sugerindo que os alunos do colégio estadual teriam menos oportunidades. Nesta quarta, estudantes protestaram contra a fala do secretário.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

No vídeo que circula nas redes sociais, Emerson Antunes diz que quando começou a atuar na cidade, em fevereiro, perto da volta às aulas, olhou a escola pela janela de sua sala na prefeitura e viu que ela estaria “tapada de mato e sujeira”. Afirmou também que “não dava gosto” olhar para o local e que aquele seria “o retrato do modelo de uma escola pública”.

Em seguida, o secretário comparou o prédio com o colégio particular vizinho e disse que crianças que passam pela mesma rua estariam seguindo caminhos para futuros diferentes:

— Uma com uma educação talvez não adequada, sem condições de ter grandes ambições. No popular, um estava estudando para ser empregado e o outro para ser patrão — disse.

A fala, disponível no vídeo (clique aqui e assista na íntegra) a partir dos 6 minutos e 55 segundos, revoltou professores e lideranças da escola Honório Miranda, a mais antiga do município, fundada há 87 anos. A unidade não faz parte da rede municipal de ensino e é o local onde o atual vice-prefeito de Gaspar estudou.

Nesta quarta-feira (7), estudantes estenderam uma faixa justamente sobre o telhado da escola que fica de frente para a prefeitura com os dizeres: “Temos orgulho de estudar aqui. Mentes pequenas não nos impedirão de sonhar ainda mais alto”.

Faixa colocada no telhado do colégio fala de orgulho da unidade
Faixa colocada no telhado do colégio fala de orgulho da unidade
(Foto: )

“Escola pode servir muito de exemplo"

Na segunda (5), o atual diretor do colégio, Dioney Luis Fernandes, gravou um vídeo em que rebate as falas do secretário municipal de Educação. Na gravação, ele alega que a área que o secretário dizia estar suja era a antiga horta do colégio e que está fechada, aguardando recursos para a construção de um laboratório de ciências. 

Também destaca que a escola hoje tem ar-condicionado, projetor e internet wi-fi em todas as salas, além de recursos como laboratório de informática, lousa digital e outros diferenciais.

— Nossa escola pode servir muito bem de exemplo, e não de contraexemplo — defendeu o diretor.

Dioney reconhece que escolas públicas possuem dificuldades, mas defende que os desafios são superados dia a dia.

— O secretário dá a entender que nossos alunos se sentem constrangidos ao passar pela calçada e que teriam menos oportunidade de sucesso profissional em função do local em que estudam. Isso foge da realidade, muitos nossos ex-alunos ocupam cargos de excelência, alguns fazendo intercâmbio fora do país — rebate.

Secretário diz ter feito crítica ao sistema público, e não à escola

Nessa terça-feira (6), o secretário Emerson Antunes publicou nas redes sociais um vídeo em que aborda a polêmica. Diz que fez uma crítica ao sistema público de educação do Brasil e não à escola, e pede perdão a quem se sentiu ofendido.

Procurado pela reportagem, Antunes diz que o vídeo teria sido editado por questões políticas e que o contexto abordado por ele nos seis minutos de fala era de que o sistema brasileiro dá mais oportunidade a alunos de escolas privadas do que das públicas.

> Assista ao vídeo na íntegra

— Se pegar o vídeo de seis minutos, você vai ver que o contexto era esse, dizer que temos que oferecer ensino de qualidade na rede pública para que as crianças possam competir com as da rede privada. Infelizmente algumas pessoas se sentiram ofendidas com isso, mas em nenhum momento minha intenção foi de ofender as pessoas, apenas dizer que as escolas privadas são um pouquinho mais bem cuidadas do que as públicas — afirmou.

Após a polêmica, a prefeitura de Gaspar emitiu nota em que diz defender a parceria entre escolas municipais, estaduais e privadas e que a escola Honório Miranda tem “papel fundamental na formação de milhares de gasparenses ao longo de seus mais de 80 anos de história”.

Leia também

> Evasão escolar em SC com a pandemia é assustadora, diz pesquisadora

> Blumenau prevê defasagem no ensino e cogita aulas de reforço para compensar perdas

Colunistas