publicidade

Navegue por
Ânderson

Trânsito

As promessas da obra de acesso ao Sul da Ilha

Compartilhe

Por Ânderson Silva
15/01/2019 - 06h00 - Atualizada em: 15/01/2019 - 06h00
Acesso ao Sul da Ilha
Acesso ao Sul da Ilha
(Foto: )

Há pouco menos de três anos, durante o leilão do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, na Bovespa, em São Paulo, o então ministro dos Transportes, Maurício Quintella Lessa, garantiu que o governo federal daria todo o suporte para a conclusão do acesso ao Sul da Ilha, fundamental para a operação do novo terminal que precisaria ser construído pela vencedora do leilão.

Naquele não tão distante 16 de março de 2016, o representante da Zurich Airport, dona da melhor oferta pela concessão, destacava a necessidade da obra de ligação: “Não tem sentido ter um aeroporto sem acesso. Nós vamos fazer um aeroporto de classe mundial, mas precisa do acesso”, frisou o diretor para Negócios Internacionais da empresa, Martin Fernandez.

Pelo contrato assinado quatro meses depois em Brasília, a Floripa Airport, nome dado à concessionária, teria até outubro de 2019 para concluir o novo terminal de passageiros. Em janeiro de 2018, quando assumiu a administração do aeroporto, iniciou as obras e estimou antecipar a entrega para agosto. Em contrapartida, passou a cobrar do Estado a prometida resposta para o acesso, atrasado e ainda com futuro incerto em pelo menos dois dos três lotes com obra em andamento. Na semana passada, a declaração do novo secretário de Infraestrutura de Santa Catarina, Carlos Hassler, aumentou o nível de preocupação já bastante elevado. Como registrado segunda-feira na coluna, ao NSC Notícias, na quinta-feira, Hassler disse:

– É sempre importante colocar que o cronograma elaborado inicialmente acordado para essa obra (acesso ao Sul da Ilha) era final do ano. Então, ótimo, a iniciativa privada, com seus meios e suas facilidades não atreladas à nossa máquina administrativa e a legislação, conseguiu antecipar. Nós vamos fazer o possível para também atender isso. Em nota divulgada na segunda-feira, a concessionária diz que "segundo o contrato de concessão, o acesso rodoviário ao aeroporto tem que estar pronto até a inauguração do novo terminal, previsto para até outubro de 2019, quando estará pronto para operar". Portanto, afirma a empresa, a conclusão em data anterior está de acordo com contrato.

O texto lembra que o acesso é um projeto de 2008 e desde 2015 está em obras e lembra da promessa do governo do Estado em entregar a obra no final de 2018: "A conclusão do novo acesso ao Aeroporto Internacional de Florianópolis é uma obra de fundamental importância não só para a operacionalização do novo terminal de passageiros, mas para a melhoria da mobilidade no sul de Florianópolis. Merece, portanto, prioridade total por parte do Poder Público", finaliza a nota.  

Instabilidade

Até o final de dezembro, o discurso na antiga equipe de Infraestrutura era de entrega de pelo menos duas faixas até agosto, em uma medida paliativa. Com a troca do comando, a linha de pensamento mudou.

A declaração de Hassler coloca dúvidas sobre o futuro da obra e aumenta o clima de instabilidade para a concessionária e moradores do Sul da Ilha. Não ter a ligação pronta até o começo do segundo semestre representará um aumento considerável no tráfego da região e descumprirá o prometido aos investidores naquele 16 de março de 2016.  

Deixe seu comentário:

Ânderson Silva

Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação