nsc
    nsc

    Grande Florianópolis

    Biguaçu e Antônio Carlos reagem à cobrança de taxa para entrar em Governador Celso Ramos

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    08/10/2019 - 05h00
    A cobrança da Taxa de Preservação Ambiental em Governador Celso Ramos está prevista para começar em 1º de novembro deste ano (Foto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense)

    A cobrança da Taxa de Preservação Ambiental (TPA) em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, prevista para começar em 1º de novembro, gerou uma reação nas cidades vizinhas de Antonio Carlos e Biguaçu. Há preocupação com os custos de circular entre um município e outro.

    Por conta disso, há uma audiência pública vai discutir a questão na quinta-feira (10), em Biguaçu. O movimento que organiza a reunião é contrário à cobrança do pedágio. A prefeitura de Governador Celso Ramos tenta há anos implantar a TPA, mas enfrenta os questionamentos do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC).

    Menos um

    Pelo andar da carruagem, o governo Carlos Moisés deve ter o apoio de somente metade dos deputados do PSL na Alesc. Depois de Ana Campagnolo e Jessé Lopes, agora é Sargento Lima quem começa a dar sinais de descontentamento com o chefe do Executivo. Ele, inclusive, tomou forte posição de cobrança pela reposição salarial dos policiais. Nos últimos dias, passou a fazer parte da diretoria da Associação de Praças (Aprasc) e puxou a bandeira da categoria.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas