nsc
    nsc

    Concessão

    Cobrança de pedágio na BR-101 Sul começa entre abril e junho de 2021, segundo empresa

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    21/02/2020 - 11h39 - Atualizada em: 21/02/2020 - 11h50
    Valor das praças de pedágio deve ter reajuste até 2021 em cima do R$ 1,97 apresentado no leilão (Foto: Guilherme Hahn)
    Valor das praças de pedágio deve ter reajuste até 2021 em cima do R$ 1,97 apresentado no leilão (Foto: Guilherme Hahn)

    Vencedora do leilão da BR-101 Sul, a empresa CCR agora tem um cronograma previsto em edital para cumprir já a partir da assinatura do contrato, programada para maio deste ano. A cobrança de pedágio na rodovia deve ocorrer entre abril e junho de 2021, segundo projeção da concessionária que já administra a ViaSul, trecho que vem na sequência do lote vencido nesta sexta-feira, no sentido Rio Grande do Sul, incluindo a Freeway.

    Com o contrato firmado em maio, a CCR terá um mês para o começo efetivo dos prazos. Ou seja, efetivamente o relógio inicia a contagem em junho. Nos primeiros seis meses a empresa precisará deixar a rodovia renovada, com limpeza e serviços de manutenção. No primeiro ano são necessários outros trabalhos definidos no edital. A cobrança de pedágio depende da conclusão de todas as atividades do primeiros ano.

    Caso a concessionária termina antes de junho de 2021, ela pode antecipar também a abertura das praças. A projeção, segundo Eduardo Camargo, presidente da Lan Vias, braço da CCR responsável pelas concessões de rodovias, é que tudo que foi previsto para o primeiro ano seja concluído antes para que os pedágios passem a operar entre abril e junho. Esta estratégia faz parte, inclusive, da ousada proposta apresentada pela empresa no leilão desta sexta-feira, de acordo com o executivo.

    O R$ 1,97 foi recebido com surpresa entre os presentes no leilão. O consórcio Way havia ofertado R$ 4,35 por praça, enquanto a Ecorodovias apresentou a proposta de R$ 2,51. Na coletiva de imprensa feita logo após o leilão, Camargo foi perguntado sobre a ousadia da proposta da CCR. Segundo ele, o valor não é agressivo e sim "responsável".

    — É uma região que cresce com velocidade diferente do restante do país. O valor apresentado é uma combinação da sinergia com a concessão da Via Sul e o aprendizado que temos nos últimos anos – afirmou o presidente da Lan Vias.

    A proximidade dos trechos administrados pela CCR contribuiu bastante neste valor. E isso já era esperado. A Arteris, que controla a BR-101 Norte, também participaria do leilão e desistiu. Caso isso ocorresse, a tendência era de uma oferta baixa justamente por conta da estrutura montada no lote ao lado da BR-101.

    Valor do pedágio será maior

    Apesar de ser a oferta vencedora do leilão, o R$ 1,97 terá um reajuste até o começo da operação. O edital prevê o acréscimo com base na inflação. Como o valor foi definido em agosto de 2019, haverá um cálculo entre esta data e o mês antes do começo da cobrança. A tendência, segundo a CCR, é que fique próximo de R$ 2,10, abaixo dos R$ 2,70 hoje cobrados na BR-101 Norte, por exemplo.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas