nsc
nsc

Sujeira

Festas de pré-carnaval terminam com rastro de lixo em Florianópolis

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
17/02/2020 - 09h43 - Atualizada em: 17/02/2020 - 10h28
Lixo jogado na cabeceira insular da ponte Hercílio Luz, após festa no local (Foto: Comcap/Divulgação)
Lixo jogado na cabeceira insular da ponte Hercílio Luz, após festa no local (Foto: Comcap/Divulgação)

As primeiras festas de carnaval em Florianópolis, entre sexta-feira e sábado, terminaram com um rastro de sujeira em algumas ruas. A Comcap, responsável pela limpeza urbana da Capital catarinense, recolheu 7,1 toneladas de lixo depois do final de dois eventos na região central. O último deles, no sábado (15), na cabeceira insular da ponte Hercílio Luz, deixou marcas. Ao todo, foi recolhida naquele ponto 1,5 tonelada de materiais, segundo a companhia.

No dia anterior, na sexta-feira, o trabalho foi para limpar a região próxima ao Largo da Alfândega e ao Mercado Público, onde ocorreu o Berbigão do Boca. Ao todo, incluindo o que estava dentro das lixeiras e no chão, foram 5,6 toneladas de materiais. Mas, segundo a Comcap, a maioria dos materiais estava no chão. Apesar de haver lixeiras, a preferência da maioria dos frequentadores foi pelo descarte no lugar errado.

Lixo espalhado no entorno da Praça XV, em Florianópolis
Lixo espalhado no entorno da Praça XV, em Florianópolis
(Foto: )

A companhia argumenta que os recicláveis, quando jogados ao chão desse modo, não podem ser separados e encaminhados para a coleta seletiva. Por isso viram rejeito. Para o aproveitamento encaminhamento à indústria da reciclagem, quem consumiu o produto deveria devolver a embalagem onde a comprou ou levar para separar em sua casa. Ou seja, mesmo nos locais onde há poucas lixeiras, não há desculpa para lançar ao chão.

A Comcap vai reforçar os equipamentos de lixeira no Carnaval, inclusive como coleta seletiva. Além dos contentores gigantes que são os pontos de entrega voluntária (PEVs) de vidro, haverá 100 latões, sendo 50 na cor cinza para rejeitos e 50 azuis para recicláveis. Mas isso depende da colaboração do público. No caso do Berbigão, por exemplo, os latões de recicláveis tinham até papel higiênico.

Deixe seu comentário:

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Últimas do colunista

Loading interface...
Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas