nsc
nsc

Governo

Governador enfrenta pressão para nomear servidores aprovados em concursos públicos

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
31/01/2019 - 04h00
Carlos Moisés
(Foto: )

Enquanto faz os ajustes nas contas do governo do Estado, Carlos Moisés da Silva precisará enfrentar a crescente pressão de concursados por nomeação em diferentes áreas do serviço público. Logo na sua posse, em 1º de janeiro, aprovados do sistema prisional fizeram um protesto em frente à Assembleia Legislativa para pedir a convocação. Soma-se a esses pedidos constantes a necessidade das secretarias e autarquias.

Na Polícia Civil, por exemplo, está um dos casos mais preocupantes. O concurso de delegados lançado em 2014 terá o prazo expirado em abril deste ano.

O delegado-geral, Paulo Koerich, encaminhou o pedido de nomeação de 51 delegados aprovados para o Colegiado Superior de Segurança, chefiado pelo coronel Araújo Gomes. As prorrogações de validade já se esgotaram.

Ainda não há uma definição sobre o assunto, mas existe um temor dentro da Polícia Civil e entre os concursados que as contratações não sejam feitas a tempo, além da necessidade de reposição das vagas. O órgão ainda tem um processo seletivo pronto para contratação de 200 agentes e 194 escrivães.

Outro exemplo vem da área da agricultura: a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) chegou a anunciar em dezembro de 2017 a contratação dividida entre março e julho de 2018 de 50 médicos veterinários e 178 auxiliares operacionais relativos ao concurso de 2016. Mas com a troca de governo e a situação financeira do Estado, as nomeações não foram completadas. Há ainda outros processos seletivos prontos para efetivação como no Corpo de Bombeiros e no Instituto Geral de Perícias (IGP).

Na sua primeira coletiva de imprensa como governador, em 2 de janeiro, Carlos Moisés da Silva disse que “neste primeiro momento” qualquer contratação estava descartada por conta do comprometimento com folha de pagamento. Um nova avaliação será feita a partir do final do primeiro trimestre. Durante a transição, o então coordenador dos trabalhos, Luiz Felipe Ferreira, havia falado em nomeações somente após o final do primeiro quadrimestre.

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas