nsc
    nsc

    De saída

    Papa Francisco aceita pedido de renúncia de catarinense ao cargo de arcebispo primaz do Brasil

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    11/03/2020 - 07h53
    Dom Murilo Krieger é catarinense de Brusque, no Vale do Itajaí (Foto: Divulgação)
    Dom Murilo Krieger é catarinense de Brusque, no Vale do Itajaí (Foto: Divulgação)

    Foi oficializada nesta quarta-feira (11) a renúncia do catarinense Dom Murilo Krieger, 76, ao cargo de arcebispo primaz do Brasil. O nome é dado ao ocupante do cargo de arcebispo da Arquidiocese de Salvador, a primeira diocese brasileira, fundada em 1551. Krieger estava no cargo desde 2011 e teve o pedido de saída aceito pelo Papa Francisco, que nomeou o cardeal Sergio da Rocha, atualmente na Arquidiocese de Brasília.

    A partir da mudança, o catarinense torna-se bispo emérito de Salvador. Segundo a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o procedimento está previsto no Código de Direito Canônico, que define que “ao bispo diocesano que tiver completado 75 anos de idade, é solicitado apresentar a renúncia do ofício ao Sumo Pontífice, que, ponderando todas as circunstâncias, tomará providências”. A carta de Krieger com o pedido de saída foi enviado ao papa em 2018, com o aceite confirmado nesta quarta.

    Natural de Brusque, ele foi o 27º arcebispo da capital baiana, após substituir dom Geraldo Majella. A sua trajetória foi iniciada em Santa Catarina, mas também teve passagens por Paraná e São Paulo antes de chegar à arquidiocese baiana. Até o ano passado ele foi vice-presidente da CNBB. A entidade emitiu uma nota de agradecimento a ele, nesta quarta.

    Em carta divulgada no começo da manhã, o catarinense pediu aos fiéis que elevem orações por sabedoria e paz para o novo ocupante do cargo.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas