nsc
    nsc

    Dinheiro para o coronavírus

    STF determina suspensão do pagamento da dívida de Santa Catarina com a União por seis meses

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    26/03/2020 - 18h25 - Atualizada em: 26/03/2020 - 21h49
    Decisão é do ministro Alexandre de Moraes (Foto: Carlos Moura / STF/Divulgação)
    Decisão é do ministro Alexandre de Moraes (Foto: Carlos Moura / STF/Divulgação)

    Em decisão liminar, o ministro do STF, Alexandre de Moraes decidiu nesta quinta-feira (26) que Santa Catarina não precisará pagar as parcelas da dívida pública com a União por seis meses. Os respectivos valores, de acordo com o magistrado, devem ser usados integralmente na secretaria de Saúde do Estado para ações de prevenção contra o novo coronavírus.

    O pedido da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) foi protocolado no STF no começo da tarde desta quinta-feira. Moraes seguiu a mesma linha adotada para outros Estados, como a Bahia, para a suspensão das parcelas dos próximos 180 dias. De acordo com o ministro, "em virtude da medida concedida, não poderá a União proceder as medidas decorrentes do descumprimento do referido contrato enquanto vigorar a presente liminar".

    > Painel do coronavírus: veja mapa e gráficos interativos sobre o avanço da pandemia em SC

    Segundo o secretário da Fazenda, Paulo Eli, o valor mensal da dívida é de R$ 48,6 milhões e a parcela de março precisaria ser pago na próxima segunda-feira, dia 30 de março. Eli afirma que há uma promessa do governo federal de suspensão do pagamento das parcelas, mas a PGE entrou no STF para garantir a decisão judicial até que haja um posicionamento oficial da União em relação ao assunto.

    O valor economizado, conforme o secretário, será depositado no Fundo Estadual da Saúde, como determina a decisão do STF.

    > Coronavírus: Câmara aprova ajuda de R$ 600 a informais, e mãe chefe de família receberá R$ 1.200

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas