nsc
    nsc

    Ensino superior

    UFSC tem bloqueio de R$ 46 milhões em verbas de custeio

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    30/04/2019 - 18h26 - Atualizada em: 30/04/2019 - 20h17
    UFSC tem bloqueio de R$ 46 milhões em verbas de custeio. (Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Diário Catarinense)
    UFSC tem bloqueio de R$ 46 milhões em verbas de custeio. (Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Diário Catarinense)

    dag
    (Foto: )

    O bloqueio de R$ 29,5 bilhões do Orçamento da União, pelo governo federal, vai resultar em um rombo de R$ 46 milhões no orçamento da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – reflexo de um corte de 25% nos repasses do Ministério da Educação (MEC). A informação foi divulgada pela Associação dos Professores da UFSC (Apufsc), com base em um detalhado relato do secretário de Planejamento da universidade, Vladimir Fey.

    A divulgação do raio-X do orçamento, nesta terça-feira, coincidiu com a decisão do MEC de cortar verbas de pelo menos três universidades federais por “balbúrdia”, segundo o ministro Abraham Weintraub, que repercutiu em todo o país. A medida foi vista, no meio acadêmico, como uma tentativa de censura às universidades.

    Não foi o caso da UFSC. Mas o cenário não é menos preocupante. A universidade teria neste ano, para o pagamento de custeio – gastos como energia elétrica, limpeza, vigilância e ações de permanência estudantil, voltadas a estudantes de baixa renda – o equivalente a R$ 180 milhões. É desse montante que foram bloqueados os R$ 46 milhões pelo governo.

    O resultado imediato foi a queda na verba disponível para investimentos, que é de R$ 5 milhões para 2019 – 20% do que foi investido em 2016. A UFSC vai criar uma comissão para revisar gastos. Uma das medidas será a renegociação de contratos com fornecedores e terceirizados, e uma campanha para reduzir o consumo de papel, água e energia elétrica.

    A expectativa de Fey é que o bloqueio reduza ao longo do ano, se o governo conseguir incrementar a receita. Ele acredita que seja possível aliviar o bloqueio de 25% para 10%, mas não há prazo para que isso ocorra.

    Auxílio estudantil

    O Diretório Central dos Estudantes (DCE) demonstrou preocupação com a possibilidade de cortes nos auxílios para estudantes de baixa renda – o que ocorreu recentemente na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A reitoria não quer mexer nos auxílios: vai tentar adequar o orçamento sem trazer prejuízo ao funcionamento da universidade.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas