publicidade

Carolina

Política

Eduardo Bolsonaro: o amigo de Trump

Compartilhe

Por Carolina Bahia
19/07/2019 - 03h15 - Atualizada em: 19/07/2019 - 03h15
(Foto: Diogo Sallaberry / Agência RBS)
NSC Total
(Foto: )

O presidente Jair Bolsonaro aproveitou o evento de 200 dias de seu governo para voltar a defender o nome do filho Eduardo para a embaixada dos Estados Unidos. Para mostrar o prestígio, afirmou que, no encontro que teve com Donald Trump na Casa Branca, o presidente norte-americano fez questão da presença do deputado em uma reunião que deveria ser reservada. Eduardo teria criado proximidade com a família Trump, segundo relato do pai:

— A amizade que ele (Trump) tem, a sua família, com o meu filho, não tem preço.

Ao lado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, Bolsonaro lembrou que a indicação precisa ser referendada pelos senadores, mas disse acreditar que Eduardo será aprovado. Como quem já tem uma carta na manga, ainda citou que pode indicar o chanceler Ernesto Araújo para a embaixada norte-americana e nomear Eduardo para comandar 200 embaixadores no Ministério das Relações Exteriores. 

Convicto de que o filho tem talento para as relações diplomáticas, o presidente deixa claro que não vai medir esforços para colocá-lo em uma posição de destaque. Vale lembrar que diplomacia não é apenas uma relação entre clãs. Envolve questões estratégicas nacionais com impacto ao longo de anos, ultrapassando governos. Cometer um deslize qualquer com a maior potência mundial pode acabar custando caro para o Brasil.

Autistas

Em conversa com a coluna, a deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC) comemorou a sanção do presidente Jair Bolsonaro da lei de autoria da parlamentar que inclui autistas nos censos demográficos. Mesmo no recesso, Carmen ficou em Brasília para reuniões com familiares de pessoas com autismo e com a primeira-dama Michelle Bolsonaro. A mobilização deu certo: 

— A inclusão inédita de dados oficiais de autistas vai fortalecer políticas públicas na saúde, assistência social e educação. A gente vai mudar a realidade deles, afirmou.

A estimativa é que dois milhões de pessoas tenham o Transtorno do Espectro Autista no Brasil. A lei começa a valer para o Censo 2020.

Economia

O Novo economizou cerca de R$ 5 milhões em verbas da Câmara nos primeiros cinco meses de atual legislatura. Grande parte desse valor, R$ 3,69 milhões, vem da redução do número de funcionários por gabinete. Hoje o Novo conta com 56 assessores distribuídos entre os oito parlamentares, mas teria direito a 200. Em relação à cota parlamentar, o catarinense Gilson Marques foi um dos que menos gastou, cerca de R$ 26 mil – 12% do valor que tinha direito no período.  

Ministro em Joinville

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, participa nesta sexta-feira (19) em Joinville da inauguração da Unidade de Saúde da Família Boehmerwald II, construída com recursos federais do programa Requalifica UBS. O ministro vai aproveitar a viagem para conhecer o Núcleo de Pesquisa e Reabilitação de Lesões Lábio Palatais, do Centrinho Prefeito Luiz Gomes, e o Hospital Municipal São José.

Cachês

O coordenador da Força-Tarefa Lava-Jato, Deltan Dallagnol, irá doar R$ 40 mil que recebera de cachê por duas palestras no Paraná. O dinheiro irá para um hospital universitário e uma associação social de Curitiba. Coincidência ou não, no domingo (14) novas mensagens vazadas mostram que Deltan teria falado na possibilidade de abrir uma empresa em nome de parentes para poder “lucrar” com palestras.

Deixe seu comentário:

publicidade