nsc

publicidade

Carolina

Complexo do Alemão

Por que a morte da menina Ágatha, no RJ, coloca em xeque bandeira de Bolsonaro na área da segurança

Compartilhe

Por Carolina Bahia
22/09/2019 - 18h21
Ágatha Félix morreu na sexta-feira com um tiro nas costas (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

A morte da menina Ágatha Vitória com um tiro nas costas, em uma favela do Rio, reabriu a discussão sobre uma das promessas de campanha do presidente Bolsonaro na área de segurança: o excludente de ilicitude. 

A proposta integra o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro, e estabelece punições mais brandas para excessos cometidos por policiais em operações no combate ao crime. 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), usou as redes sociais, neste domingo (22), para expressar solidariedade à família da menina e para afirmar que defende uma avaliação cuidadosa e criteriosa sobre o excludente de ilicitude. 

O tema está em debate no Congresso, mas sem data para votação. Nos bastidores, a própria equipe de Moro nunca foi convicta da eficácia desta medida. Agora, depois de mais uma tragédia envolvendo uma criança, o debate ganhará corpo na Câmara.

Deixe seu comentário:

Carolina Bahia

Carolina Bahia

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

carolina.bahia@gruporbs.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade