publicidade

Navegue por
Carolina

Pente-fino

Propostas de governo

Compartilhe

Por Carolina Bahia
07/01/2019 - 06h00 - Atualizada em: 07/01/2019 - 15h14
Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS
Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

* Por Silvana Pires

Enquanto os detalhes da reforma da Previdência não são divulgados oficialmente, o governo Bolsonaro prepara uma medida provisória com foco em melhorias na gestão, na concessão de benefícios previdenciários e na prevenção de fraudes. Um pente-fino nos pagamentos feitos pelo INSS também vai ocorrer - o que, é bom lembrar, foi feito pelo governo Temer. Ainda nesta semana, os detalhes desta MP devem ser fechados durante reunião com o presidente Jair Bolsonaro, os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Paulo Guedes (Economia) e o secretário da Previdência, Rogério Marinho. Um choque de gestão e a correção de erros são sempre bem-vindos, mas o governo precisa apresentar algo mais à população. Há uma expectativa grande em torno do que pode mudar em relação à aposentadoria de cada brasileiro, por exemplo. Para amanhã, está prevista nova reunião de Bolsonaro com sua equipe ministerial, em Brasília. Mesmo sem promessa de anúncios, o ideal é que o staff do presidente possa vir a público e apresentar o que pretende fazer de fato em cada pasta, especialmente em relação à Previdência.

Esperança 

Apesar de ainda trabalhar no que será a reforma da Previdência, o governo Bolsonaro já aposta em uma previsão de data para votar a proposta no plenário da Câmara. Um interlocutor afirmou à coluna que a expectativa é analisar o tema já na primeira quinzena de março.

Rebateu 

Dilma Rousseff rebateu o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, que a acusou de ter “derretido” o sistema de inteligência brasileiro. Por meio de nota, a ex-presidente citou problemas que enfrentou em sua gestão, como o grampo em seu gabinete e no avião presidencial. Dilma ainda alfinetou o GSI ao citar uma “falha” recente, ao lembrar do atentado sofrido pelo então candidato Bolsonaro:

— A 'inteligência' já supostamente reconstruída, desconhecia a ameaça e, portanto, não pode impedi-la, escreveu na nota.

Parceria

Em conversa com a coluna, o ministro Sergio Moro (Justiça) reconheceu a importância da participação do Exército na segurança pública nos últimos anos. Moro afirmou que gostaria de contar com as Forças Armadas, se necessário, em situações excepcionais, como por exemplo, em caso de perturbação da ordem pública pelo crime organizado. 

Revogaços 

Além de tentar apagar incêndios, o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) está mergulhado na preparação de decretos de simplificação de normas e serviços, chamados no Palácio do Planalto de “revogaços”. A previsão é de que as novas determinações sejam publicadas nos próximos dias. 

Deixe seu comentário:

Carolina Bahia

Carolina Bahia

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação