nsc
    nsc

    Análise política

    Senado cobra preço por reforma

    Compartilhe

    Carolina
    Por Carolina Bahia
    02/10/2019 - 04h30
    (Foto: Roque de Sá / Agência Senado/Divulgação)

    O Senado aproveitou a votação da reforma da Previdência para, mais uma vez, mandar recado para o Palácio do Planalto. Sem esconder a insatisfação, Major Olímpio (PSL-SP) disse que há desconfortos e dessabores, que vão de senadores que não são recebidos pelos ministros à discussão do pacto federativo.

    Os parlamentares querem ações de socorro do governo federal para tirar os governadores da crise financeira. Tudo isso precisa ser resolvido no intervalo da votação até o segundo turno da reforma da Previdência. Embora a oposição tenha aproveitado o tempo em plenário para reclamar das mudanças na aposentadoria, esse está longe de ser o maior problema do Planalto.

    Recados, pressões, insatisfações e exigências para a liberação de emendas são atos de senadores que, durante as eleições, vestiram a camiseta de Bolsonaro. O texto base da reforma será aprovado mais cedo ou mais tarde. Fica claro, no entanto, que a falta de uma base sólida no Congresso sempre deixa o governo contra a parede. 

    Vai encarar? 

    Ao contrário do que ocorreu na Câmara, o PDT não ameaçou ou constrangeu senadores a votarem contra a reforma da Previdência. A favor das mudanças, a senadora Katia Abreu não recebeu nenhum telefonema orientando voto. Oito deputados estão na mira do conselho de ética do PDT. 

    Lebre 

    O deputado Hélio Costa (Republicanos-SC) protocolou requerimento na Comissão de Segurança Pública da Câmara para que o diretor da Força Nacional, Coronel Antonio Aginaldo de Oliveira, explique os gastos e ações do órgão. 

    – Tem muito dinheiro, muita diária. Precisamos saber o custo real e resultados, afirmou.  No documento, o parlamentar cita o repasse de R$ 20 milhões para o projeto “Em Frente Brasil”, que coloca homens da Força para atuar no combate à criminalidade em cinco municípios brasileiros.

    Leia também: ​​​​​​​Após a reforma da Previdência, os próximos passos

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas