publicidade

Navegue por
Clóvis

Política

Após deixar PSB por divergência doutrinária, Hildebrandt avalia a possível ida para o Podemos

Compartilhe

Por Clóvis Reis
16/02/2019 - 09h05 - Atualizada em: 16/02/2019 - 10h14
Mário Hildebrandt, prefeito de Blumenau
Foto: Pancho, Jornal de Santa Catarina, BD, 6/12/2018

O prefeito Mário Hildebrandt (sem partido) participou sexta-feira, em Florianópolis, de um almoço com a cúpula do PSB em Santa Catarina. O cardápio do encontro eram os rumos que o grupo seguiria com a expectativa de uma saída em massa da legenda. A principal alternativa seria a filiação ao Podemos, partido pelo qual o ex-governador Álvaro Dias disputou a eleição presidencial.

No plano nacional o Podemos integra o bloco que reúne a segunda bancada mais numerosa da Câmara Federal e anuncia independência em relação ao atual governo. No Estado a legenda tem uma comissão provisória e em Blumenau não há representação formal. Entretanto, a reunião não avançou. Uma parte do coletivo quer permanecer no PSB, de onde o prefeito já saiu e para onde não quer voltar por divergências doutrinárias.

Hildebrandt diz que não tem pressa e usará o prazo disponível (abril de 2020) para o anúncio da filiação. Ele tem convite para ingresso em outros partidos, entre os quais o DEM, partido do ex-prefeito e ex-deputado federal João Paulo Kleinübing.

***

Gabinete regional

O gabinete regional do deputado Gilson Marques (Novo) será no Offcina Café Coworking, em Blumenau. Líderes locais do Novo, Rodrigo Leal Silva e Rafael Boskovic darão assessoria ao deputado.

***

Bancada federal

Entidades patronais da região estão se articulando para uma reunião com a bancada federal. Os empresários vão pedir empenho dos deputados para a conclusão das obras de duplicação da BR-470 e se colocar à disposição para a mobilização social. “A nossa força está na união”, diz o presidente da Acib, Avelino Lombardi. Ele aplaude esforços individuais na defesa da obra, mas aposta na força do envolvimento coletivo.

***

Salários na URB

A Companhia Urbanizadora de Blumenau (URB) ainda não pagou o salário dos servidores celetistas que ocupam cargos de coordenação ou supervisão (comissionados). A remuneração dos funcionários concursados está em dia. Empresa de economia mista, a companhia busca no mercado fontes para o reequilíbrio das finanças. As dificuldades reforçam a polêmica sobre a dissolução da urbanizadora.

Deixe seu comentário:

Clóvis Reis

Clóvis Reis

Clóvis Reis

Análise, opinião e os bastidores da política do Vale do Itajaí. Clóvis Reis traz o que é destaque nas câmaras de vereadores e prefeituras da região, com destaque para Blumenau.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação