publicidade

Navegue por
Dagmara

Polícia

Advogado pode responder por feminicídio e ocultação de cadáver em Balneário Camboriú

Compartilhe

Por Dagmara Spautz
03/04/2019 - 16h56 - Atualizada em: 04/04/2019 - 00h10
Foto: Luiz Carlos Souza/NSC TV
Foto: Luiz Carlos Souza/NSC TV

O delegado Ícaro Freitas, responsável pelas investigações do assassinato da advogada Lucimara Stasiak, 30 anos, acompanhou o andamento das negociações da Polícia Militar com o também advogado Paulo de Carvalho Souza, 42, que afirma ter cometido o crime, para definir como o caso será levado adiante.

Souza se entregou à polícia por volta das 18h30min desta quarta-feira (3) e foi preso. Ele deve responder por feminicídio e ocultação de cadáver. As negociações para a rendição do advogado duraram mais de 24 horas e mobilizaram policiais militares e civis em Balneário Camboriú.

Como a morte de Luciamara teria ocorrido na última quinta-feira (28), já não há flagrante pelo homicídio. Mas a polícia deverá, ainda nesta quarta, solicitar a prisão preventiva para garantir que ele permaneça detido. O delegado explica que trabalha com a hipótese de feminicídio.

— É crime de situação de gênero, hipossuficiência econômica ou física. Pelo que levantei até o momento, o caso configura sim violência doméstica. Nesse caso, ele deverá responder por feminicídio e ocultação de cadáver — explica.

Souza aparentava ter surto psicótico e estava trancado na sacada do apartamento. Ele disse à polícia ter matado a namorada e se recusava a se entregar.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação