Dados divulgados pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) confirmam o desempenho acima da média nacional dos portos de Santa Catarina, como previsto pelo levantamento da Secretaria Estadual de Portos e Aeroportos (SPAF). Os terminais portuários catarinenses registraram crescimento de movimentação de 11,4% em 2023, contra 6,86% de incremento no resultado do país.

Continua depois da publicidade

Os bons números de Santa Catarina ocorrem apesar da crise no Porto de Itajaí, que passou o ano todo de 2023 sem receber contêineres e movimentando apenas carga geral – o que provocou uma queda brusca de movimentação.

Se considerada a movimentação em toneladas, SC operou 4,73% de tudo o que passou pelos portos nacionais – 1,3 bilhão de toneladas. Nesse indicador, o Porto de São Francisco do Sul teve o melhor desempenho no Estado, com 16,8 milhões de toneladas –  o que coloca o terminal entre os 7 maiores do Brasil, subindo duas posições em relação a 2022. Entre os 10 maiores portos públicos do país, foi o que mais cresceu (33%) e entre todos os 32 portos públicos, obteve o segundo maior percentual de crescimento.

O resultado é ainda melhor na movimentação de contêineres – o “filé” do setor portuário, por onde passam as cargas com maior valor agregado. Santa Catarina responde por 21% da movimentação nacional e é o segundo estado que mais movimenta contêineres, atrás apenas de São Paulo. A Portonave, em Navegantes, e o Porto Itapoá figuram em segundo e quarto lugar entre os maiores do país. Os dois portos privados movimentaram respectivamente,1,3 milhões de TEUs e 1,1 milhões de TEUs (medida que equivale a contêineres de 20 pés.

O resultado foi comemorado pelo governador Jorginho Mello (PL) e o secretário de Portos, Aeroportos e Ferrovias (SPAF), Robison Coelho:

Continua depois da publicidade

– Os portos de Santa Catarina tiveram dificuldades climáticas durante o ano, mas  souberam aproveitar o cenário favorável para melhorar o seu desempenho. Isso é mérito de boas gestões e alinhamento com as necessidades do mercado. O papel do Estado tem sido apoiar o setor, que é tão importante para a economia estadual e nacional – diz Robison.

– Santa Catarina se destaca mesmo na adversidade. Foi um ano de recordes para os nossos portos mesmo com os prejuízos causados pelas chuvas. É um resultado que vem da parceria constante do governo com o setor privado, do apoio ao empreendedorismo catarinense que conquista mercados no mundo todo – afirma o governador.

Destaques do NSC Total