nsc
    nsc

    Coronavírus

    Coronavírus: Justiça cobra do Estado prazos para estruturação do sistema de saúde 

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    11/05/2020 - 15h24 - Atualizada em: 11/05/2020 - 16h10
    Leitos de hospital de campanha em Nova York
    Leitos de hospital de campanha em Nova York

    Uma decisão da Vara da Fazenda Pública de Balneário Camboriú cobra do Estado de Santa Catarina, entre outras informações, o prazo e a efetividade da instalação do hospital de campanha de Itajaí, que teve o primeiro processo de contratação cancelado pelo governo. A ação pede uma série de respostas sobre a estruturação do sistema de saúde na região da Foz do Rio Itajaí-Açu para enfrentar a pandemia do novo coronavírus.

    O pedido foi feito pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), em ação conjunta entre promotorias de Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema, e Porto Belo/Bombinhas. O pedido de informações integra outra ação, da 6ª Promotoria de Justiça de Balneário Camboriú, que questiona a situação do atendimento do Hospital Ruth Cardoso.

    A ação foi movida pela intenção da prefeitura de Balneário Camboriú de interromper o atendimento de urgência e emergência de “portas abertas”, anunciada no fim do ano passado. O Ministério Público levou a questão à Justiça e o Estado teve R$ 6 milhões bloqueados para auxiliar no custeio do hospital – mas recorreu.

    Com os riscos de colapso na saúde pública causados pela pandemia, o MPSC questionou agora a falta de um plano de ação, de execução imediata, para ampliar o número de leitos. E também para o encaminhamento de pacientes que busquem atendimento junto ao Ruth Cardoso e aos demais hospitais da região.

    As Promotorias de Justiça consideram que não é admissível que se aguarde a "instalação do caos" na saúde pública para que se adotem medidas que garantam o acesso à saúde para a população da região, que possui proporcionalmente a maior população idosa do Estado, que faz parte dos grupos de risco.

    Além de informações sobre o hospital de campanha, que questionam, inclusive, se essa seria a melhor solução para a região, o Estado deverá informar ao Ministério Público qual a garantia de disponibilidade de leitos da rede privada e quantos leitos, de UTI e enfermaria, serão acrescentados nos hospitais públicos na região.

    O que diz o Estado

    Em relação aos hospitais de campanha, a Secretaria de Estado de Administração informou que o edital para aquisição segue em fase de construção. Os ajustes estão em fase de discussão, junto com a Secretaria de Estado da Saúde. A expectativa é que a publicação ocorra até o fim desta semana.

    Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas